serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.650 Plantas .
B01.650.940 Viridiplantae .
B01.650.940.800 Estreptófitas .
B01.650.940.800.575 Embriófitas .
B01.650.940.800.575.912 Traqueófitas .
B01.650.940.800.575.912.250 Magnoliopsida .
B01.650.940.800.575.912.250.065 Annonaceae .
B01.650.940.800.575.912.250.065.968 Rollinia .
B01.650.940.800.575.912.250.875 Rutaceae .
B04 Vírus .
B04.280 Vírus de DNA .
B04.280.030 Adenoviridae .
B04.280.030.080 Atadenovirus .
C10 Doenças do Sistema Nervoso .
C10.597 Manifestações Neurológicas .
C10.597.350 Discinesias .
C10.597.350.090 Ataxia .
C10.597.742 Convulsões .
C23 Condições Patológicas, Sinais e Sintomas .
C23.888 Sinais e Sintomas .
C23.888.592 Manifestações Neurológicas .
C23.888.592.350 Discinesias .
C23.888.592.350.090 Ataxia .
C23.888.592.742 Convulsões .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.157 Proteínas de Transporte .
D12.776.157.725 Proteínas de Ligação a RNA .
D12.776.157.725.452 Proteínas de Ligação a Poli(A) .
D12.776.157.725.452.125 Ataxina-2 .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.069 Ataxinas .
D12.776.631.069.500 Ataxina-1 .
D12.776.631.069.750 Ataxina-2 .
D12.776.660 Proteínas Nucleares .
D12.776.660.075 Ataxinas .
D12.776.660.075.500 Ataxina-1 .
D12.776.660.075.750 Ataxina-2 .
D12.776.664 Nucleoproteínas .
D12.776.664.962 Proteínas de Ligação a RNA .
D12.776.664.962.452 Proteínas de Ligação a Poli(A) .
D12.776.664.962.452.125 Ataxina-2 .
D27 Ações Químicas e Utilizações .
D27.505 Ações Farmacológicas .
D27.505.696 Efeitos Fisiológicos de Drogas .
D27.505.696.277 Depressores do Sistema Nervoso Central .
D27.505.696.277.950 Tranquilizantes .
D27.505.954 Usos Terapêuticos .
D27.505.954.427 Fármacos do Sistema Nervoso Central .
D27.505.954.427.210 Depressores do Sistema Nervoso Central .
D27.505.954.427.210.950 Tranquilizantes .
D27.505.954.427.700 Psicotrópicos .
D27.505.954.427.700.872 Tranquilizantes .
HP4 Materia Medica .
HP4.018 Medicamento Homeopático .
HP4.018.716 Medicamento Homeopático T .
HP4.018.716.109 Tanacetum vulgare .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Rutaceae .
Rutáceas .
Acronychia .
Atalantia .
Bauerella .
Fortunella .
Cunquate .
Laranjeira-Cunquate .
Glycosmis .
Haplophyllum .
Cunquateiro .
Melicope .
Microcitrus .
Microcitrus inodora .
Raulinoa .
Sarcomelicope .
Severinia .
Swinglea .
Vepris .
Teclea .
Zieria .
Fagara .
Micromelum .
Família de plantas da ordem Sapindales que cresce em regiões mais quentes e possui flores conspícuas. .
1.00
25648
 
Rollinia .
Araticum-Alvadio .
Araticum-Catinga .
Araticum-da-Mata .
Araticum-de-Santa-Catarina .
Araticum-do-Mato .
Araticum-do-Morro .
Araticum-Fedorento .
Araticum-Folha-de-Salgueiro .
Araticum-Mirim .
Araticum-Pitaia .
Ata (Planta) .
Biribá .
Condessa .
Embira-Vermelha .
Fruta-de-Conde-Pequena .
Pinha .
Gênero de plantas da família ANNONACEAE cujos membros contêm aporfinas, acetogeninas e rolinona. .
0.60
014
 
Tanacetum vulgare .
Tanaceto .
Erva-Contra-Vermes .
Atanásia .
Atanásia-das-Boticas .
Catinga-de-Mulata .
Erva-de-São-Marcos .
Medicamento homeopático. Catinga-de-mulata. Tanaceto, Atanásia, Erva-de-São-Marcos. Abrev.: "tanac.". Origem vegetal. Habitat original: Europa e norte de Ásia. Parte utilizada: flores e folhas. .
0.52
 
Ataxia .
Deficiência de Coordenação .
Dissinergia .
Incoordenação .
Dificuldade na capacidade em desempenhar movimentos voluntários coordenados suaves. Esta afecção pode acometer os membros, tronco, olhos, faringe, laringe e outras estruturas. A ataxia pode resultar das funções motora ou sensorial deficientes. A ataxia sensorial pode resultar de lesões da coluna posterior ou DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO. A ataxia motora pode estar associada com DOENÇAS CEREBELARES, doenças DO CÓRTEX CEREBRAL, DOENÇAS TALÂMICAS, DOENÇAS DOS GÂNGLIOS DA BASE, lesões do NÚCLEO RUBRO e outras afecções. .
0.52
 
Convulsões .
Crises Convulsivas .
Convulsões não Epilépticas .
Crise Jacksoniana .
Ataque (Convulsivo) .
Ataques (Convulsivos) .
Ataque Convulsivo .
Ataques Convulsivos .
Ataques Focais .
Convulsões Focais .
Crises Convulsivas Focais .
Crises Focais .
Crises Convulsivas Generalizadas .
Ataques Generalizados .
Convulsões Generalizadas .
Ataques Motores .
Crises Convulsivas Motoras .
Crises Motoras .
Convulsões Sensoriais .
Crises Sensitivas .
Crises Convulsivas Parciais Sensitivas .
Crises Parciais Sensitivas .
Ataques Sensoriais .
Crises Convulsivas Audiogênicas .
Crises Convulsivas Clônicas .
Crises Convulsivas Gustativas .
Crises Convulsivas Olfativas .
Crises Convulsivas Somatossensoriais .
Crises Convulsivas Tônicas .
Crises Convulsivas Tônico-Clônicas .
Crises Convulsivas Vertiginosas .
Crises Convulsivas Vestibulares .
Crises Convulsivas Visuais .
Ataque Epiléptico .
Ataque Epilético .
Ataques Epilépticos .
Ataques Epiléticos .
Convulsão Epiléptica .
Convulsão Epilética .
Convulsões Epilépticas .
Convulsões Epiléticas .
Crise Epiléptica .
Crise Epilética .
Crises Epilépticas .
Crises Epiléticas .
Crises de Ausência .
Ataques .
Distúrbios clínicos ou subclínicos da função cortical, devido à descarga súbita, anormal, excessiva e desorganizada de células cerebrais. As manifestações clínicas incluem fenômenos motores, sensoriais e psíquicos. Os ataques recidivantes são normalmente referidos como EPILEPSIA ou "transtornos de ataques". .
0.51
72844266
 
Ataxinas .
Proteínas Ataxinas .
Família de proteínas predominantemente nucleares que regulam a transcrição gênica e a degradação proteica. A expansão de repetições do trinucleotídeo CAG nos genes que codificam ataxinas está associada com ATAXIAS ESPINOCEREBELARES. Em pacientes com essa doença, o número de repetições CAG se correlaciona diretamente com a gravidade da doença e inversamente com a idade de início da doença. .
0.49
0650
 
Tranquilizantes .
Ataráxicos .
Efeito Tranquilizante .
Série tradicional de drogas às quais se atribui um efeito confortante ou calmante sobre a disposição de ânimo, pensamento, ou comportamento. Estão incluídos aqui os ANSIOLÍTICOS (tranquilizantes menores), AGENTES ANTIMANIA, e os AGENTES ANTIPSICÓTICOS (tranquilizantes maiores). Essas drogas agem através de mecanismos diferentes e são usadas para diferentes finalidades terapêuticas. .
0.46
617716
 
Atadenovirus .
Adenovirus D Bovino .
Adenovirus do Cervo .
Adenovirus A do Pato .
Vírus da Síndrome da Queda de Postura .
Adenovirus D Ovino .
Gênero de ADENOVIRIDAE que abrange vírus de várias espécies de MAMÍFEROS e AVES e cuja espécie típica é o adenovírus Ovino D. .
0.43
041
 
Ataxina-1 .
Proteína Ataxia Espinocerebelar Tipo 1 .
Proteína SCA1 .
Fator de ligação à cromatina que reprime a sinalização por Notch e se associa com o RNA. A expansão do trato da poliglutamina por repetições CAG na região que codifica o gene ATXN1 está associada com a ATAXIA ESPINOCEREBELAR TIPO 1. .
0.40
0449
 
Ataxina-2 .
Proteína Ataxia Espinocerebelar Tipo 2 .
Proteína SCA2 .
Proteína ligante de poli(A) RNA que regula negativamente a ENDOCITOSE de EGFR (RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO). É observado um risco aumentado em desenvolver ESCLEROSE AMIOTRÓFICA LATERAL 13 em pacientes que tiverem mais de 23 repetições CAG na sequência codificadora do gene ATXN2. Expansões maiores de CAG no gene ATXN2 ocorrem em pacientes com ataxia espinocerebelar tipo 2 (ver ATAXIAS CEREBELARES). .
0.40
246