serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

A08 Sistema Nervoso .
A08.850 Sinapses .
A11 Células .
A11.284 Estruturas Celulares .
A11.284.149 Membrana Celular .
A11.284.149.165 Estruturas da Membrana Celular .
A11.284.149.165.420 Junções Intercelulares .
A11.284.149.165.420.780 Sinapses .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.050 Agrina .
D12.776.631.750 Sinapsinas .
D12.776.744 Fosfoproteínas .
D12.776.744.840 Sinapsinas .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Agrina .
Componente proteico da lâmina basal sináptica. Demonstrou-se que induz o agrupamento de receptores de acetilcolina na superfície das fibras musculares e de outras moléculas sinápticas na regeneração e no desenvolvimento de sinapses. .
0.74
0693
 
Sinapses .
SINAPSE .
Junções especializadas, nas quais um neurônio se comunica com uma célula alvo. Nas sinapses clássicas, a terminação pré-sináptica de um neurônio libera um transmissor químico armazenado em vesículas sinápticas que se difunde através de uma fenda sináptica estreita, ativando receptores na membrana pós-sináptica da célula alvo. O alvo pode ser um dendrito, corpo celular ou axônio de outro neurônio, ou ainda uma região especializada de um músculo ou célula secretora. Os neurônios também podem se comunicar através de acoplamento elétrico direto com SINAPSES ELÉTRICAS. Vários outros processos não sinápticos de transmissão de sinal elétrico ou químico ocorrem via interações mediadas extracelulares. .
0.35
7349548
 
Sinapsinas .
Sinapsina I .
Sinapsina II .
Sinapsina III .
Proteína I .
Proteína III .
Família de proteínas associadas às vesículas sinápticas envolvidas na regulação de curto prazo da liberação de NEUROTRANSMISSORES. A sinapsina I, o membro predominante desta família, liga as VESÍCULAS SINÁPTICAS a FILAMENTOS DE ACTINA no terminal nervoso pré-sináptico. Essas interações são moduladas pela FOSFORILAÇÃO reversível da sinapsina I através de várias vias de transdução de sinal. A proteína também é um substrato para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE C-AMP e para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE CÁLCIO-CALMODULINA. Acredita-se que essas propriedades funcionais também sejam compartilhadas pela sinapsina II. .
0.31
01470