serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.050 Animais .
B01.050.150 Cordados .
B01.050.150.900 Vertebrados .
B01.050.150.900.649 Mamíferos .
B01.050.150.900.649.900 Xenartros .
D27 Ações Químicas e Utilizações .
D27.505 Ações Farmacológicas .
D27.505.519 Mecanismos Moleculares de Ação Farmacológica .
D27.505.519.389 Inibidores Enzimáticos .
D27.505.519.389.936 Desacopladores .
G02 Fenômenos Químicos .
G02.111 Fenômenos Bioquímicos .
G02.111.192 Desaminação .
G02.607 Fenômenos de Química Orgânica .
G02.607.157 Desaminação .
G03 Metabolismo .
G03.222 Desaminação .
G16 Fenômenos Biológicos .
G16.500 Fenômenos Ecológicos e Ambientais .
G16.500.750 Conceitos Meteorológicos .
G16.500.750.775 Tempo (Meteorologia) .
G16.500.750.775.745 Tornados .
M01 Pessoas .
M01.325 Pessoas em Situação de Rua .
N03 Economia e Organizações de Saúde .
N03.219 Economia .
N03.219.151 Custos e Análise de Custo .
N03.219.151.450 Gastos em Saúde .
N05 Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde .
N05.300 Assistência à Saúde .
N05.300.385 Gastos em Saúde .
N06 Meio Ambiente e Saúde Pública .
N06.230 Meio Ambiente .
N06.230.100 Desastres .
SP1 Políticas, Planejamento e Administração em Saúde .
SP1.011 Administração em Saúde .
SP1.011.117 Recursos em Saúde .
SP1.011.117.138 Recursos Financeiros em Saúde .
SP1.011.117.138.029 Gastos em Saúde .
SP4 Saúde Ambiental .
SP4.001 Saúde .
SP4.001.037 Desastres .
SP4.026 Esgotos .
SP4.026.292 Tratamento de Águas Residuárias .
SP4.026.292.683 Tratamento Preliminar .
SP4.026.292.683.284 Desarenadores .
SP8 Desastres .
SP8.473 Risco .
SP8.473.654 Ameaças .
SP8.473.654.587 Meteorologia .
SP8.473.654.587.462 Tempestades Ciclônicas .
SP8.473.654.587.462.381 Tornados .
SP8.946 Administração de Desastres .
SP8.946.117 Estado de Alerta em Emergências .
SP8.946.117.244 Vítimas de Desastres .
SP8.946.117.244.334 Pessoas Deslocadas .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Pessoas em Situação de Rua .
Falta de Moradia .
Falta de Habitação .
População em Situação de Rua .
Pessoas sem Lar .
Pessoas Sem Teto .
Morador de Rua .
Moradores de Rua .
Sem-Abrigo .
Sem-Teto .
População de Rua .
DESABRIGADOS .
1. Pessoas que não possuem residência permanente. O conceito exclui pessoas nômades. 2. Grupo populacional heterogêneo que possui em comum a pobreza extrema, os vínculos familiares interrompidos ou fragilizados e a inexistência de moradia convencional regular, e que utiliza os logradouros públicos e as áreas degradadas como espaço de moradia e de sustento, de forma temporária ou permanente, bem como as unidades de acolhimento para pernoite temporário ou como moradia provisória. (Decreto 7.053/2009, Brasil Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D7053.htm) .
1.00
1926439
 
Gastos em Saúde .
Contas Nacionais de Saúde .
Custeio .
Despesas .
Gastos .
Gasto Médico Familiar .
Gastos com Hospitalização .
Redução de Gasto Público .
Gasto Total na Saúde Per Capita .
Gasto Público na Saúde Per Capita .
Quantidade de recursos financeiro aplicados na atenção e prestação de cuidados de saúde em sua totalidade ou com seus componentes, seja por pessoas, grupos, países ou instituições públicas e privadas. .
0.40
116116475
 
Pessoas Deslocadas .
Desalojados .
Deslocados .
População Evacuada .
População Desalojada .
Pessoas Desalojadas .
População Deslocada .
DESLOCADOS DE CALAMIDADES .
Pessoas que, por diferentes razões ou circunstâncias, tenham sido obrigadas a deixar suas casas. Podem ou não residir em seus países de origem, mas legalmente não são consideradas como refugiados (Material II - IDNDR, 1992). Refere-se a pessoas forçadas a se reinstalar em zonas mais seguras, dentro de sua própria comunidade domiciliar, em situações de desastres naturais ou causados pelo homem (Repidisca/CEPIS). .
0.39
650
 
Desastres .
Calamidades .
Catástrofes .
PICE 3283 .
Eventos com Potencial de Criação de Lesão .
1) Calamidades que produzem grandes danos, perda de vidas e desgraça. Incluem aquelas que são resultados de fenômenos naturais e de fenômenos originados pelo homem. As condições normais de existência são interrompidas e o nível de impacto supera a capacidade da comunidade afetada. 2) Resultado de eventos adversos, naturais ou provocados pelo homem, sobre um ecossistema vulnerável, causando danos humanos, materiais e ambientais e consequentes prejuízos econômicos e sociais. Os desastres classificam-se quanto à Evolução, Intensidade e Tipologia. Quanto à Evolução, podem ser: Súbitos ou de Evolução Aguda, de Evolução Crônica e Gradual e Por Somação de Efeitos Graduais. A intensidade do desastre é definida, em termos absolutos, a partir da proporção entre necessidade/possibilidade de meios disponíveis na área, para responder ao problema. Dessa forma, caracterizam-se: Acidentes, quando os danos e os prejuízos são de pouca importância; Desastres de Médio Porte, quando solucionados com recursos locais; Desastres de Grande Porte, quando exigem reforço de recursos regionais e algum apoio central; Desastres de Muito Grande Porte, quando exigem a intervenção coordenada dos três níveis do Sistema Nacional de Defesa Civil. Quanto à Tipologia, classificam-se: a) Natural, provocado por fenômenos e desequilíbrios da natureza e gerados por fatores de origem externa que atuam independentemente das ações humanas; b) Humano, provocado pelas ações ou omissões do homem, de origem interna, enquanto resultante da atividade humana, provocadora de desajustes políticos ou sociais, de desequilíbrios ambientais ou da redução de padrões de segurança coletiva; c) Misto, quando as ações ou omissões humanas contribuem para intensificar ou complicar os efeitos dos desastres naturais (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992) .
0.39
90516348
 
Desarenadores .
0.38
10
 
Desaminação .
Remoção de um grupo amina (NH2) do composto químico. .
0.37
11648
 
Desacopladores .
Agentes Desacopladores .
Substâncias químicas que desacoplam a oxidação da fosforilação no ciclo metabólico, de tal forma que a síntese de ATP não ocorra. Pertencem a esta classe os IONÓFOROS que bloqueiam a transferência de elétrons criando um curto-circuito no gradiente de prótons através das membranas mitocondriais. .
0.36
73627
 
Xenartros .
Xenarthra .
Aardvarks .
Desdentados .
Edentata .
Edentados .
Myrmecophagidae .
Mirmecofagídeos .
Oricteropodídeos .
Tamanduás .
Ordem de mamíferos do Novo Mundo caracterizados pela ausência de incisivos e caninos entre seus dentes, e que compreendem os TATUS, os BICHOS-PREGUIÇA e os tamanduás. A ordem distingue-se das demais pelas vértebras xenartrósicas (xenos, estranho; arthron, articulação): há articulações secundárias, às vezes mais, entre as vértebras da região lombar. A ordem foi previamente chamada Edentados. .
0.35
67666
 
Tornados .
Tornados (Desastres) .
Tornados (Saúde Ambiental) .
1) Colunas de ar rotante que se estendem de uma tempestade acompanhada de raios e trovoadas em direção ao chão. Tornados geralmente causam um caminho de destruição de 100 jardas (91,44 m) de largura ou menos, com comprimento de algumas milhas. 2) Uma coluna ondulante de nuvens, com diâmetro de menos de 2km, que se desloca a uma velocidade de 30km/h a 60km/h. É considerado a mais destruidora entre as perturbações atmosféricas - estima-se que a velocidade do vento dentro do funil possa atingir 450km/h -, embora a área afetada por ele seja mais restrita. Ocorre com a chegada de frentes frias em regiões onde o ar está muito quente e instável. Os mais intensos costumam acontecer no centro-oeste dos EUA e na Austrália (Almanaque Abril, 1999) .
0.34
1139