serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

A09 Órgãos dos Sentidos .
A09.371 Olho 3998 .
A09.371.784 Esclera .
C01 Infecções Bacterianas e Micoses .
C01.252 Infecções Bacterianas .
C01.252.400 Infecções por Bactérias Gram-Negativas .
C01.252.400.310 Infecções por Enterobacteriaceae .
C01.252.400.310.503 Infecções por Klebsiella .
C01.252.400.310.503.650 Rinoscleroma .
C01.252.825 Dermatopatias Bacterianas .
C01.252.825.705 Rinoscleroma .
C01.539 Infecção .
C01.539.800 Dermatopatias Infecciosas .
C01.539.800.720 Dermatopatias Bacterianas .
C01.539.800.720.705 Rinoscleroma .
C08 Doenças Respiratórias .
C08.460 Doenças Nasais .
C08.460.850 Rinoscleroma .
C08.730 Infecções Respiratórias .
C08.730.702 Rinoscleroma .
C09 Otorrinolaringopatias .
C09.603 Doenças Nasais .
C09.603.850 Rinoscleroma .
C11 Oftalmopatias .
C11.790 Doenças da Esclera .
C11.790.500 Esclerite .
C17 Doenças da Pele e do Tecido Conjuntivo .
C17.800 Dermatopatias .
C17.800.838 Dermatopatias Infecciosas .
C17.800.838.765 Dermatopatias Bacterianas .
C17.800.838.765.705 Rinoscleroma .
C23 Condições Patológicas, Sinais e Sintomas .
C23.550 Processos Patológicos .
C23.550.823 Esclerose .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.860 Escleroproteínas .
D26 Preparações Farmacêuticas .
D26.776 Soluções .
D26.776.708 Soluções Farmacêuticas .
D26.776.708.822 Soluções Esclerosantes .
D27 Ações Químicas e Utilizações .
D27.505 Ações Farmacológicas .
D27.505.954 Usos Terapêuticos .
D27.505.954.411 Fármacos Cardiovasculares .
D27.505.954.411.700 Soluções Esclerosantes .
D27.505.954.578 Soluções Farmacêuticas .
D27.505.954.578.822 Soluções Esclerosantes .
D27.720 Usos Especializados de Substâncias Químicas .
D27.720.752 Soluções Farmacêuticas .
D27.720.752.822 Soluções Esclerosantes .
E02 Terapêutica .
E02.319 Tratamento Farmacológico .
E02.319.805 Escleroterapia .
E04 Procedimentos Cirúrgicos Operatórios .
E04.540 Procedimentos Cirúrgicos Oftalmológicos .
E04.540.450 Cirurgia Filtrante .
E04.540.450.600 Esclerostomia .
E04.540.825 Procedimentos Cirúrgicos Refrativos .
E04.540.825.968 Escleroplastia .
E04.579 Estomia .
E04.579.895 Esclerostomia .
E04.680 Procedimentos Cirúrgicos Reconstrutivos .
E04.680.700 Escleroplastia .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Escleroproteínas .
Proteínas simples caracterizadas pela sua insolubilidade e estrutura fibrosa. No corpo, elas desempenham função de suporte e proteção. .
0.78
016
 
Rinoscleroma .
Escleroma Nasal .
Doença granulomatosa causada por infecção por KLEBSIELLA RHINOSCLEROMATIS. Apesar de seu nome, esta doença não se limita ao nariz e à NASOFARINGE, mas pode afetar qualquer parte do TRATO RESPIRATÓRIO, algumas vezes com extensão ao lábio e à pele. .
0.74
 
Esclera .
Esclerótica .
A túnica, fibrosa, branca e opaca, mais externa do globo ocular, revestindo-o inteiramente com exceção do segmento revestido anteriormente pela córnea. É essencialmente avascular, porém contém aberturas para a passagem de vasos sanguíneos, linfáticos e nervos. Recebe os tendões de inserção dos músculos extraoculares e no nível da junção esclerocorneal contém o seio venoso da esclera [anteriormente chamado de canal de Schlemm]. (Tradução livre do original: Cline et al., Dictionary of Visual Science, 4th ed) .
0.64
828910
 
Esclerose .
Processo patológico constituído por engrossamento ou fibrose de uma estrutura anatômica, geralmente vaso ou nervo. .
0.63
1746904
 
Escleroterapia .
Tratamento das veias varicosas, hemorroidas, varizes gástricas e esofágicas, e úlceras pépticas hemorrágicas, por injeção ou infusão de agentes químicos que causam trombose localizada e eventual fibrose e obliteração dos vasos. .
0.61
2194879
 
Escleroplastia .
Cirurgia plástica da ESCLERA. Este procedimento é usado com frequência para prevenir a cegueira e visão reduzida em pacientes, especialmente crianças com miopia. .
0.58
168
 
Esclerite .
Episclerite .
Esclerite Necrosante .
Refere-se a qualquer inflamação da esclera, incluindo episclerite, afecção benigna que afeta somente a episclera que tem geralmente vida curta e é facilmente tratada. A esclerite clássica, por outro lado, afeta os tecidos mais profundos e é caracterizada por altas taxas de perda da acuidade visual e mesmo mortalidade, particularmente na forma necrosante. Seu sintoma característico é uma dor de cabeça severa e generalizada. A esclerite também foi associada com doença de colágeno sistêmica. A etiologia é desconhecida, mas acredita-se que envolva uma resposta imune local. O tratamento é difícil e inclui a administração de agentes anti-inflamatórios e antissupressivos, como corticosteroides. A inflamação da esclera pode também ser secundária à inflamação dos tecidos adjacentes, como a conjuntiva. .
0.57
541123
 
Soluções Esclerosantes .
Injeções Esclerosantes .
Esclerosantes .
Agentes químicos injetados em vasos sanguíneos e seios linfáticos para encolher ou causar TROMBOSE localizada, FIBROSE e obliteração dos vasos. Este tratamento é aplicado em várias afecções, tais como VARIZES, HEMORROIDAS, VARIZES ESOFÁGICAS E GÁSTRICAS, ÚLCERA PÉPTICA HEMORRÁGICA. .
0.56
1024539
 
Esclerostomia .
Formação cirúrgica de um orifício externo na esclera, principalmente no tratamento do glaucoma. .
0.54
24826