serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.650 Plantas .
B01.650.940 Viridiplantae .
B01.650.940.800 Estreptófitas .
B01.650.940.800.575 Embriófitas .
B01.650.940.800.575.912 Traqueófitas .
B01.650.940.800.575.912.250 Magnoliopsida .
B01.650.940.800.575.912.250.583 Lamiales .
B01.650.940.800.575.912.250.583.670 Orobanchaceae .
B01.650.940.800.575.912.250.583.670.875 Striga .
B03 Bactérias .
B03.353 Firmicutes .
B03.353.750 Lactobacillales .
B03.353.750.737 Streptococcaceae .
B03.353.750.737.872 Streptococcus .
B03.353.750.737.872.243 Streptococcus gallolyticus .
B03.353.750.737.872.243.500 Streptococcus gallolyticus subspecies gallolyticus .
B03.510 Bactérias Gram-Positivas .
B03.510.400 Cocos Gram-Positivos .
B03.510.400.800 Streptococcaceae .
B03.510.400.800.872 Streptococcus .
B03.510.400.800.872.243 Streptococcus gallolyticus .
B03.510.400.800.872.243.500 Streptococcus gallolyticus subspecies gallolyticus .
B03.510.550 Lactobacillales .
B03.510.550.737 Streptococcaceae .
B03.510.550.737.872 Streptococcus .
B03.510.550.737.872.243 Streptococcus gallolyticus .
B03.510.550.737.872.243.500 Streptococcus gallolyticus subspecies gallolyticus .
D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.277 Hidrolases .
D08.811.277.040 Hidrolases Anidrido Ácido .
D08.811.277.040.330 GTP Fosfo-Hidrolases .
D08.811.277.040.330.300 Proteínas de Ligação ao GTP .
D08.811.277.040.330.300.200 Proteínas Heterotriméricas de Ligação ao GTP .
D08.811.277.040.330.300.200.100 Subunidades alfa de Proteínas de Ligação ao GTP .
D08.811.277.040.330.300.200.100.200 Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas de Ligação ao GTP .
D08.811.520 Liases .
D08.811.520.300 Liases de Carbono-Enxofre .
D08.811.520.300.500 Lactoilglutationa Liase .
D08.811.913 Transferases .
D08.811.913.696 Fosfotransferases .
D08.811.913.696.445 Nucleotidiltransferases .
D08.811.913.696.445.308 DNA Nucleotidiltransferases .
D08.811.913.696.445.308.300 DNA Polimerase Dirigida por DNA .
D08.811.913.696.445.308.300.225 DNA Polimerase I .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.644 Peptídeos .
D12.644.360 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.644.360.360 Proteínas Heterotriméricas de Ligação ao GTP .
D12.644.360.360.100 Subunidades alfa de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.644.360.360.100.200 Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776 Proteínas .
D12.776.157 Proteínas de Transporte .
D12.776.157.125 Proteínas de Ligação ao Cálcio .
D12.776.157.125.050 Anexinas .
D12.776.157.125.050.100 Anexina A5 .
D12.776.157.325 Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.157.325.332 Proteínas Heterotriméricas de Ligação ao GTP .
D12.776.157.325.332.100 Subunidades alfa de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.157.325.332.100.200 Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.476 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.776.476.375 Proteínas Heterotriméricas de Ligação ao GTP .
D12.776.476.375.100 Subunidades alfa de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.476.375.100.200 Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.543 Proteínas de Membrana .
D12.776.543.325 Proteínas Heterotriméricas de Ligação ao GTP .
D12.776.543.325.100 Subunidades alfa de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.543.325.100.200 Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas de Ligação ao GTP .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.750 Sinapsinas .
D12.776.744 Fosfoproteínas .
D12.776.744.840 Sinapsinas .
D13 Ácidos Nucleicos, Nucleotídeos e Nucleosídeos .
D13.150 Elementos Antissenso (Genética) .
D13.150.650 RNA Antissenso .
D13.150.650.319 MicroRNAs .
D13.444 Ácidos Nucleicos .
D13.444.735 RNA 12333 .
D13.444.735.150 RNA Antissenso .
D13.444.735.150.319 MicroRNAs .
D13.444.735.790 RNA não Traduzido .
D13.444.735.790.552 Pequeno RNA não Traduzido .
D13.444.735.790.552.500 MicroRNAs .
D13.695 Nucleotídeos .
D13.695.578 Polinucleotídeos .
D13.695.578.550 Polirribonucleotídeos .
D13.695.578.550.650 Poli I .
SP8 Desastres .
SP8.473 Risco .
SP8.473.654 Ameaças .
SP8.473.654.587 Meteorologia .
SP8.473.654.587.582 Nuvens .
SP8.473.654.587.582.488 Stratus .
SP8.473.654.587.582.494 Stratus .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas de Ligação ao GTP .
Subunidades alfa Gi-Go de Proteínas Ligantes de GTP .
Proteína-G Inibidora Gi .
Proteína G Família alfa Gi-Go .
Subunidades alfa de Proteínas de Ligação a GTP Gi-Go .
Subunidades alfa de Proteínas de Ligação ao GTP Gi-Go .
Família de subunidades alfa de proteínas heterotriméricas de ligação ao GTP, originalmente identificada por sua capacidade em inibir a ADENILIL CICLASE. Os membros desta família podem parear com as subunidades de proteína-G beta e gama que ativam os CANAIS DE POTÁSSIO. A parte Gi-Go do nome também é grafada Gi/Go. .
0.38
 
Striga .
Erva-de-Bruxa .
Gênero de plantas na família Orobanchaceae que parasitam raizes de outras plantas. Seus membros contêm flavonas, APIGENINA e LUTEOLINA. .
0.36
 
MicroRNAs .
miRNA .
miRNAs .
RNA Temporário Pequeno .
RNA Pequeno Temporário .
Micro RNA .
Micro RNAs .
MicroRNA .
MicroRNA Primario .
pri-miRNA .
stRNA .
RNA Temporal Pequeno .
RNA Pequeno Temporal .
RNAs pequenos, de cadeia dupla, de codificação não proteica, com 21-25 nucleotídeos de extensão, gerados a partir transcritos do gene de microRNA de cadeia única pela mesma RIBONUCLEASE III, Dicer, que produz RNAs interferentes pequenos (RNA INTERFERENTE PEQUENO). Eles tornam-se parte do COMPLEXO DE INATIVAÇÃO INDUZIDO POR RNA e reprimem a tradução (TRADUÇÃO GENÉTICA) de RNA alvo por ligação a região 3'UTR homóloga como um par imperfeito. Os RNAs temporários pequenos (stRNAs), let-7 e lin-4, de C. elegans, são os primeiros 2 miRNAs encontrados, e são de uma classe de miRNAs envolvidos no controle do tempo de desenvolvimento. .
0.35
 
Stratus .
Nuvem Stratus .
Estrato .
1) Nuvem baixa que varia em altitude, entre 0 e 2000 metros. 2) Camada de nuvens geralmente cinzenta, com base bastante uniforme, podendo dar lugar a garoa, prismas de gelo ou de neve granular. Quando o sol é visível através da camada, seu contorno é nitidamente visível e sua altitude varia de 100 a 6000 metros (Fonte: Ministério da Ação Social, Brasília, 1992) .
0.34
 
DNA Polimerase I .
DNA Polimerase I Dependente de DNA .
Pol I .
Fragmento Klenow .
DNA Polimerase alfa .
DNA polimerase dependente de DNA, caracterizada em procariotos, e que pode estar presente em organismos superiores. Tem tanto atividade de exonuclease 3'-5'quanto 5'-3', mas não pode usar o DNA de fita dupla nativo como molde-iniciador. Não é inibida por reagentes sulfidrílicos e é ativa tanto na síntese quanto no reparo do DNA. Ec 2.7.7.7. .
0.33
 
Lactoilglutationa Liase .
Glioxalase I .
Metilglioxalase .
Lactoil Glutationa Liase .
Enzima que catalisa a interconversão de metilglioxal e lactato, com glutationa servindo de coenzima. EC 4.4.1.5. .
0.32
 
Anexina A5 .
Anexina V .
Proteína Anticoagulante I de Placenta .
Ancorina CII .
Calfobindina I .
Endonexina II .
Lipocortina V .
PAP-I .
Proteína da família anexina isolada da PLACENTA humana e outros tecidos. Inibe a FOSFOLIPASE A2 citosólica e demonstra atividade anticoagulante. .
0.32
 
Poli I .
Inosina Polinucleotídeos .
Ácidos Poli-Inosínicos .
INOSINA POLINUCLEOTÍDIOS .
Grupo de ribonucleotídeos inosina nos quais os resíduos fosfato de cada ribonucleotídeo inosina atuam como pontes formando ligações diéster entre as moléculas de ribose. .
0.32
 
Streptococcus gallolyticus subspecies gallolyticus .
Streptococcus bovis biotipo I .
Streptococcus gallolyticus gallolyticus .
Streptococcus gallolyticus ssp. gallolyticus .
Streptococcus gallolyticus subespécie gallolyticus .
Streptococcus gallolyticus subsp. gallolyticus .
Streptococcus gallolyticus sp. gallolyticus .
Sub-espécie de Streptococcus galloticus. Ela e outras subespécies foram apontadas como causadoras de infecções que resultam em BACTEREMIA, ENDOCARDITE e MENINGITE neonatal. .
0.31
 
Sinapsinas .
Sinapsina I .
Sinapsina II .
Sinapsina III .
Proteína I .
Proteína III .
Família de proteínas associadas às vesículas sinápticas envolvidas na regulação de curto prazo da liberação de NEUROTRANSMISSORES. A sinapsina I, o membro predominante desta família, liga as VESÍCULAS SINÁPTICAS a FILAMENTOS DE ACTINA no terminal nervoso pré-sináptico. Essas interações são moduladas pela FOSFORILAÇÃO reversível da sinapsina I através de várias vias de transdução de sinal. A proteína também é um substrato para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE C-AMP e para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE CÁLCIO-CALMODULINA. Acredita-se que essas propriedades funcionais também sejam compartilhadas pela sinapsina II. .
0.31