serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.277 Hidrolases .
D08.811.277.656 Peptídeo Hidrolases .
D08.811.277.656.300 Endopeptidases .
D08.811.277.656.300.480 Metaloendopeptidases .
D08.811.277.656.300.480.525 Metaloproteinases da Matriz .
D08.811.277.656.300.480.525.300 Metaloproteinases da Matriz Associadas à Membrana .
D08.811.277.656.675 Metaloproteases .
D08.811.277.656.675.374 Metaloendopeptidases .
D08.811.277.656.675.374.525 Metaloproteinases da Matriz .
D08.811.277.656.675.374.525.300 Metaloproteinases da Matriz Associadas à Membrana .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.395 Glicoproteínas .
D12.776.395.550 Glicoproteínas de Membrana .
D12.776.395.550.045 Basigina .
D12.776.543 Proteínas de Membrana .
D12.776.543.493 Metaloproteinases da Matriz Associadas à Membrana .
D12.776.543.550 Glicoproteínas de Membrana .
D12.776.543.550.187 Basigina .
D12.776.860 Escleroproteínas .
D12.776.860.300 Proteínas da Matriz Extracelular .
D23 Fatores Biológicos .
D23.050 Antígenos .
D23.050.285 Antígenos de Neoplasias .
D23.050.285.040 Basigina .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Metaloproteinases da Matriz .
Metaloproteinases da Matriz Extracelular .
Metaloproteinases de Matriz .
Metaloproteinases de Matriz Extracelular .
Metaloproteinases Matriciais .
MMPs 22250 .
Matriz Metaloproteinases .
Família de metaloendopeptidases dependentes de zinco envolvida na degradação de componentes da MATRIZ EXTRACELULAR. .
1.00
988700
 
Basigina .
Indutor de Metaloproteinases de Matriz Extracelular .
Proteína Emmprina .
Antígenos CD147 .
Proteína Basigina .
Antígeno CD147 .
Emmprin .
Emmprina .
Indutor de Metaloproteinases de Matriz Extracelular (EMMPRIN) .
Glicoproteína transmembrana de superfície celular de ampla distribuição caracterizada por DOMÍNIOS DE IMUNOGLOBULINA. Estimula a síntese das METALOPROTEINASES DA MATRIZ e é encontrada em níveis altos na superfície de NEOPLASIAS malignas, onde pode desempenhar papel como mediador do comportamento celular maligno. .
0.90
01245
 
Metaloproteinases da Matriz Associadas à Membrana .
Metaloproteinases de Matriz Associadas à Membrana .
Metaloproteinases de Matriz Extracelular Associadas à Membrana .
Metaloproteases de Matriz Associadas à Membrana .
Metaloproteases da Matriz Associadas à Membrana .
Metaloproteases de Matriz Extracelular Associadas à Membrana .
Metaloproteases da Matriz Extracelular Associadas à Membrana .
Metaloproteinase de Matriz de Tipo Membranário .
Metaloproteinase de Matriz de Tipo Membrânico .
Metaloproteinase da Matriz de Tipo Membranário .
Metaloproteinase da Matriz de Tipo Membrânico .
Metaloproteinase de Matriz do Tipo Membranário .
Metaloproteinase de Matriz do Tipo Membrânico .
Metaloproteinase da Matriz do Tipo Membranário .
Metaloproteinase da Matriz do Tipo Membrânico .
Metaloprotease de Matriz de Tipo Membranário .
Metaloprotease de Matriz de Tipo Membrânico .
Metaloprotease da Matriz de Tipo Membranário .
Metaloprotease da Matriz de Tipo Membrânico .
Metaloprotease de Matriz do Tipo Membranário .
Metaloprotease de Matriz do Tipo Membrânico .
Metaloprotease da Matriz do Tipo Membranário .
Metaloprotease da Matriz do Tipo Membrânico .
Metaloproteinase de Membrana .
Metaloproteinase da Membrana .
Metaloprotease de Membrana .
Metaloprotease da Membrana .
Metaloproteinases da Matriz Extracelular Associadas à Membrana .
Metaloproteinase da Matriz Tipo Membranário .
Matriz Metaloproteinases Associadas à Membrana .
Metaloproteinases de matriz que estão associadas à MEMBRANA CELULAR por meio de seus domínios transmembrânicos ou das âncoras de glicosilfosfatidilinositóis (âncoras GPI). As metaloproteinases de membrana podem atuar no ambiente pericelular e influenciar o processo de MIGRAÇÃO CELULAR. .
0.78
2960
 
Proteínas da Matriz Extracelular .
Proteínas Extracelulares de Matriz .
Compostos orgânicos macromoleculares que contêm carbono, hidrogênio, oxigênio, nitrogênio e, geralmente, enxofre. Essas macromoléculas (proteínas) formam uma malha intrincada reticulada na qual as células se inserem para construir os tecidos. Variações nos tipos relativos de macromoléculas e sua organização determina o tipo de matriz extracelular, cada uma adaptada para os requisitos funcionais do tecido. As duas principais classes de macromoléculas que formam a matriz extracelular são: as glicosaminoglicanas, geralmente ligadas a proteínas (proteoglicanas) e proteínas fibrosas (ex., COLÁGENO, ELASTINA, FRIBRONECTINAS e LAMININA). .
0.76
5517783