serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

C14 Doenças Cardiovasculares .
C14.240 Anormalidades Cardiovasculares .
C14.240.400 Cardiopatias Congênitas .
C14.240.400.660 Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
C14.280 Cardiopatias .
C14.280.238 Cardiomiopatias .
C14.280.238.281 Fibroelastose Endocárdica .
C14.280.238.281.500 Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
C14.280.400 Cardiopatias Congênitas .
C14.280.400.660 Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
C16 Doenças e Anormalidades Congênitas, Hereditárias e Neonatais .
C16.131 Anormalidades Congênitas .
C16.131.077 Anormalidades Múltiplas .
C16.131.077.477 Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
C16.131.240 Anormalidades Cardiovasculares .
C16.131.240.400 Cardiopatias Congênitas .
C16.131.240.400.655 Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
C16.320 Doenças Genéticas Inatas .
C16.320.322 Doenças Genéticas Ligadas ao Cromossomo X .
C16.320.322.370 Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
C23 Condições Patológicas, Sinais e Sintomas .
C23.300 Condições Patológicas Anatômicas .
C23.300.985 Remodelação Ventricular .
D05 Substâncias Macromoleculares .
D05.750 Polímeros .
D05.750.078 Biopolímeros .
D05.750.078.730 Proteínas dos Microfilamentos .
D05.750.078.730.475 Miosinas .
D05.750.078.730.475.475 Miosina Tipo II .
D05.750.078.730.475.475.124 Miosinas Cardíacas .
D05.750.078.730.475.475.124.500 Miosinas Ventriculares .
D05.750.078.730.475.750 Miosina Tipo V .
D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.277 Hidrolases .
D08.811.277.040 Hidrolases Anidrido Ácido .
D08.811.277.040.025 Adenosina Trifosfatases .
D08.811.277.040.025.193 Proteínas Motores Moleculares .
D08.811.277.040.025.193.750 Miosinas .
D08.811.277.040.025.193.750.750 Miosina Tipo II .
D08.811.277.040.025.193.750.750.124 Miosinas Cardíacas .
D08.811.277.040.025.193.750.750.124.500 Miosinas Ventriculares .
D08.811.277.040.025.193.750.875 Miosina Tipo V .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.210 Proteínas Contráteis .
D12.776.210.500 Proteínas Musculares .
D12.776.210.500.600 Miosinas .
D12.776.210.500.600.470 Miosina Tipo II .
D12.776.210.500.600.470.249 Miosinas Cardíacas .
D12.776.210.500.600.470.249.500 Miosinas Ventriculares .
D12.776.220 Proteínas do Citoesqueleto .
D12.776.220.525 Proteínas dos Microfilamentos .
D12.776.220.525.475 Miosinas .
D12.776.220.525.475.475 Miosina Tipo II .
D12.776.220.525.475.475.124 Miosinas Cardíacas .
D12.776.220.525.475.475.124.500 Miosinas Ventriculares .
D12.776.220.525.475.750 Miosina Tipo V .
G09 Fenômenos Fisiológicos Circulatórios e Respiratórios .
G09.330 Fenômenos Fisiológicos Cardiovasculares .
G09.330.380 Hemodinâmica .
G09.330.380.937 Pressão Ventricular .
G09.330.955 Função Ventricular .
G09.330.955.950 Pressão Ventricular .
G09.330.955.975 Remodelação Ventricular .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Miosinas Ventriculares .
Miosina V1 .
Miosina Tipo V1 .
Miosina V3 .
Miosina Tipo V3 .
Isoformas de MIOSINA TIPO II encontradas especificamente no músculo ventricular do CORAÇÃO. Os defeitos nos genes que codificam as miosinas ventriculares resultam em CARDIOMIOPATIA HIPERTRÓFICA FAMILIAR. .
1.00
 
Miosinas .
Miosina ATPase .
Miosina .
ADENOSINATRIFOSFATASE DA ACTOMIOSINA .
ADENOSINATRIFOSTATASE DA MIOSINA .
ACTOMIOSINA ATPASE .
ISOENZIMAS DA MIOSINA .
ISOZIMAS DA MIOSINA .
Superfamília diversificada de proteínas que atuam como proteínas de translocação. Compartilham a característica comum de serem capazes de se ligar a ACTINAS e hidrolisar o MgATP. Geralmente, as miosinas consistem em cadeias pesadas envolvidas na locomoção e cadeias leves envolvidas na regulação. Há três domínios inseridos na estrutura na cadeia pesada da miosina: cabeça, pescoço e cauda. A região da cabeça da cadeia pesada contém o domínio de ligação à actina e o domínio MgATPase, que provê energia para locomoção. A região do pescoço está envolvida na união das cadeias leves. A região da cauda possui o ponto de ancoragem que retém a posição da cadeia pesada. A superfamília das miosinas é organizada em classes estruturais baseadas no tipo e arranjo das subunidades que elas contêm. .
0.63
 
Remodelação Ventricular .
Remodelação Cardíaca Ventricular .
Remodelação Ventricular Esquerda .
Remodelação Miocárdica Ventricular .
Alterações geométrica e estrutural que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS sofrem, geralmente depois de um INFARTO DO MIOCÁRDIO. Compreende a expansão do infarto e dilatação dos segmentos ventriculares saudáveis. Embora a maioria prevaleça no ventrículo esquerdo, também pode ocorrer no ventrículo direito. .
0.60
 
Pressão Ventricular .
Pressão dentro de um VENTRÍCULO CARDÍACO. A forma de onda da pressão ventricular pode ser medida no coração pulsante por cateterismo, ou estimada usando-se técnicas de processamento de imagens (p.ex., ECOCARDIOGRAFIA DOPPLER). A informação é útil para se avaliar a função do MIOCÁRDIO, das VÁLVULAS CARDÍACAS e DO PERICÁRDIO, particularmente com a medida simultânea de outras (p.ex., aórtica ou atrial) pressões. .
0.56
 
Miosina Tipo V .
Miosina V .
Subclasse de miosina envolvida no transporte de organelas e direcionamento para a membrana. É abundante em tecido nervoso e células neurossecretoras. As cadeias pesadas da miosina V contêm domínios de pescoço raramente longos que, acredita-se, ajudam na translocação de moléculas a longa distância. .
0.54
 
Miocárdio Ventricular não Compactado Isolado .
Miocárdio Ventricular Isolado não Compactado .
Miocárdio Ventricular Esquerdo não Compactado Isolado Ligado ao X .
Miocárdio Ventricular Esquerdo não Compactado Autossômico Dominante .
Miocárdio Ventricular Não-Compactado Isolado .
Miocárdio Ventricular Isolado Não-Compactado .
Miocárdio Ventricular Esquerdo Não-Compactado Isolado Ligado ao X .
Miocárdio Ventricular Esquerdo Não-Compactado Autossômico Dominante .
Cardiomiopatias congênitas raras caracterizadas pela ausência da compactação do miocárdio ventricular. A não compactação resulta em trabéculas numerosas proeminentes e uma trama miocárdica frouxa (miocárdio esponjoso) no VENTRÍCULO ESQUERDO. Dentre as características clínicas heterogêneas, inclui-se a diminuição da função sistólica algumas vezes associada com uma dilatação ventricular esquerda que aparece tanto no período neonatal quanto nos subsequentes. Com frequência, o VENTRÍCULO DIREITO também aparece afetado. Também são comumente observados a INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA, EMBOLIA PULMONAR e ARRITMIA ventricular. .
0.53