serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

A08 Sistema Nervoso .
A08.637 Neuroglia .
A08.637.500 Neurópilo .
A08.637.500.550 Filamentos do Neurópilo .
A08.675 Neurônios .
A08.675.703 Neurópilo .
A08.675.703.550 Filamentos do Neurópilo .
A11 Células .
A11.284 Estruturas Celulares .
A11.284.430 Espaço Intracelular .
A11.284.430.214 Citoplasma .
A11.284.430.214.190 Estruturas Citoplasmáticas .
A11.284.430.214.190.750 Citoesqueleto .
A11.284.430.214.190.750.602 Microtúbulos .
A11.284.430.214.190.750.602.620 Filamentos do Neurópilo .
A11.650 Neuroglia .
A11.650.500 Neurópilo .
A11.650.500.550 Filamentos do Neurópilo .
A11.671 Neurônios .
A11.671.685 Neurópilo .
A11.671.685.550 Filamentos do Neurópilo .
C10 Doenças do Sistema Nervoso .
C10.292 Doenças dos Nervos Cranianos .
C10.292.700 Doenças do Nervo Óptico .
C10.292.700.550 Neurite Óptica .
C11 Oftalmopatias .
C11.640 Doenças do Nervo Óptico .
C11.640.576 Neurite Óptica .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.543 Proteínas de Membrana .
D12.776.543.750 Receptores de Superfície Celular .
D12.776.543.750.590 Neuropilinas .
D12.776.543.750.590.500 Neuropilina-1 .
D12.776.543.750.590.750 Neuropilina-2 .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Neurópilo .
Neuropilo .
Neuropilos .
Neurópilos .
Densa e intrincada rede de fibras nervosas amielínicas composta de processos gliais, fibrilas, terminais sinápticos, axônios e dendritos dispersos entre as células nervosas da substância cinzenta no sistema nervoso central. .
1.00
4929
 
Neuropilinas .
Neuropilina .
Neuropilinas são receptores de superfície celular de 140 KDa (presentes nos vertebrados) que se ligam às moléculas sinalizadoras neuronais durante o desenvolvimento neural, crescimento axonal e modula a angiogênese mediada por VEGF. A NEUROPILINA-1 e NEUROPILINA-2 diferem em suas especificidades de ligação e são distribuídas complementarmente em regiões do desenvolvimento do sistema nervoso. As neuropilinas são receptores para as SEMAFORINAS CLASSE 3 secretadas, bem como, para os fatores de crescimento das células vasculares endoteliais e podem formar hetero ou homodímeros. Também podem interagir sinergicamente com plexinas e com RECEPTORES DE VEGF para formar os complexos de receptores com afinidades e especificidades distintas. A especificidade de ligação da neuropilina é determinada por CUB e por domínios semelhantes aos fatores de coagulação na porção extracelular da molécula, enquanto que, o domínio MAM é essencial para a TRANSDUÇÃO DE SINAL. .
0.83
0188
 
Filamentos do Neurópilo .
Fibras do Neurópilo .
Estruturas anormais localizadas principalmente nos dendritos distais, juntamente com os EMARANHADOS NEUROFIBRILARES e PLACAS SENIS, constituindo os três sinais morfológicos da DOENÇA DE ALZHEIMER. Os filamentos do neurópilo são formados de filamentos helicoidais e retos, pareados, que consistem de proteínas tau anormalmente associadas à microtúbulos fosforilados. Sugere-se que estes filamentos apresentam um papel principal no déficit cognitivo encontrado na doença de Alzheimer. .
0.67
067
 
Neuropilina-1 .
Receptor dimérico de superfície celular envolvido com a angiogênese (NEOVASCULARIZAÇÃO FISIOLÓGICA) e com a orientação axonal. A neuropilina-1 é uma proteína transmembrânica de 140 KDa que se liga as SEMAFORINAS classe 3 e a vários outros fatores de crescimento. A neuropilina-1 forma complexos com plexina ou RECEPTORES DE VEGF e a afinidade e especificidade da ligação são determinadas pela composição dos dímeros de neuropilina e pela identidade de outros receptores complexados com esta proteína. A neuropilina-1 é expressa em diferentes padrões durante o desenvolvimento neural, complementar àquelas descritas para a NEUROPILINA-2. .
0.67
21010
 
Neuropilina-2 .
Receptor transmembrânico para as SEMAFORINAS classe 3 e muitas outras isoformas de fatores de crescimento vascular endotelial. A neuropilina-2 atua como homodímero tanto como heterodímero com a NEUROPILINA-1. A afinidade de ligação da neuropilina-2 varia para as diferentes isoformas de semaforinas classe 3 e é dependente da composição do dímero. A proteína também forma complexos receptores com as plexinas e com os RECEPTORES VEGF, que altera as características de ligação do receptor. .
0.66
0282
 
Neurite Óptica .
Papilite Ocular .
Neurite Retrobulbar .
Neuropapilite .
Inflamação do nervo óptico. Entre as afecções comumente associadas estão transtornos autoimunes como ESCLEROSE MÚLTIPLA, infecções e doenças granulomatosas. Os sinais clínicos incluem dor retro-orbital que é agravada por movimento dos olhos, perda da visão de cores e sensibilidade a contrastes podendo progredir para perda visual grave, um defeito pupilar aferente (pupila de Marcus-Gunn) e, em alguns casos, hiperemia do disco óptico e inchaço. A inflamação pode ocorrer na porção do nervo dentro do globo (neuropapilite ou neurite óptica anterior) ou na porção atrás do globo (neurite retrobulbar ou neurite óptica posterior). .
0.65
984791