serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.050 Animais .
B01.050.150 Cordados .
B01.050.150.900 Vertebrados .
B01.050.150.900.649 Mamíferos .
B01.050.150.900.649.313 Eutérios .
B01.050.150.900.649.313.988 Primatas .
B01.050.150.900.649.313.988.400 Haplorrinos .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112 Catarrinos .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112.199 Cercopithecidae .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112.199.120 Cercopithecinae .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112.199.120.610 Papio .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112.199.120.610.050 Papio anubis .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112.199.120.610.600 Papio papio .
B01.050.150.900.649.313.988.400.112.199.120.610.800 Papio ursinus .
B01.650 Plantas .
B01.650.940 Viridiplantae .
B01.650.940.800 Estreptófitas .
B01.650.940.800.575 Embriófitas .
B01.650.940.800.575.912 Traqueófitas .
B01.650.940.800.575.912.250 Magnoliopsida .
B01.650.940.800.575.912.250.905 Solanaceae .
B01.650.940.800.575.912.250.905.145 Capsicum .
C04 Neoplasias .
C04.557 Neoplasias por Tipo Histológico .
C04.557.470 Neoplasias Epiteliais e Glandulares .
C04.557.470.700 Neoplasias de Células Escamosas .
C04.557.470.700.600 Papiloma .
C10 Doenças do Sistema Nervoso .
C10.292 Doenças dos Nervos Cranianos .
C10.292.700 Doenças do Nervo Óptico .
C10.292.700.900 Papiledema .
C11 Oftalmopatias .
C11.640 Doenças do Nervo Óptico .
C11.640.710 Papiledema .
J01 Tecnologia, Indústria e Agricultura .
J01.637 Manufaturas .
J01.637.650 Papel .
SP4 Saúde Ambiental .
SP4.011 Ciência .
SP4.011.087 Contaminação .
SP4.011.087.718 Poluição Industrial .
SP4.011.087.718.439 Indústrias .
SP4.011.087.718.439.200 Indústria de Papel e Celulose .
SP4.046 Saúde do Trabalhador .
SP4.046.462 Indústrias .
SP4.046.462.883 Indústria de Papel e Celulose .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Papio .
Babuínos .
Babuínos-da-Savana .
Gênero de primatas da subfamília CERCOPITHECINAE, família CERCOPITHECIDAE, composto por cinco espécies denominadas: PAPIO URSINUS (babuínos chacma), PAPIO CYNOCEPHALUS (babuíno amarelo), PAPIO PAPIO (babuíno do oeste), PAPIO ANUBIS (babuíno anubis ou oliva), PAPIO HAMADRYAS (babuíno hamadryas). O gênero Papio está distribuído em florestas abertas, savanas, pastagens e elevações rochosas. Alguns autores consideram MANDRILLUS um subgênero do Papio. .
1.00
1910824
 
Papio papio .
Babuíno da Guiné .
Espécie de mandril (família CERCOPITHECIDAE) utilizada frequentemente como modelo de animal para estudos cognitivos. .
0.98
053
 
Papel .
Lâminas finas feitas da polpa de papel e outras substâncias fibrosas usadas para escrever, desenhar, imprimir, reprodução de imagens ou como embalagem. .
0.67
686282
 
Papiloma .
Papiloma de Células Escamosas .
Papilomatose .
Tumor epitelial benigno, circunscrito, que se projeta da superfície adjacente; mais precisamente, uma neoplasia epitelial benigna que consiste em crescimentos vilosos ou arborescentes de estroma fibrovascular coberto por células neoplásicas. (Stedman, 27a ed) .
0.66
4729357
 
Capsicum .
Pimentão-Doce .
Pimentão .
Pimenta-de-Caiena .
Pimenta-Longa .
Pimenta-Doce .
Pimentão Verde .
Pimenta Jalapenho .
Páprica .
Pimento .
Pimenta-Malagueta .
Gênero de planta da família SOLANACEAE. As pimentas picantes possuem CAPSAICINA, que ativa receptores vaniloides (ver CANAIS DE CÁTION TRPV). Diversas variedades possuem frutos comestíveis doces ou picantes que são consumidos como alimentos quando frescos, e como tempero quando as vagens estão secas. .
0.62
 
Papio anubis .
Babuíno-Cinzento .
Babuíno-Anubis .
Babuíno-Verde .
Espécie de babuíno (família CERCOPITHECIDAE) com estrutura social ligeiramente diferente do PAPIO HAMADRYAS. Habitam várias áreas do sul da África e do Saara. .
0.60
0271
 
Indústria de Papel e Celulose .
Cartão .
Papéis .
0.60
 
Papio ursinus .
Chacma .
Babuíno Negro .
Espécie de mandril (família CERCOPITHECIDAE) encontrada na África meridional. São de cor escura e têm uma estrutura social variada. .
0.59
0107
 
Papiledema .
Edema Papilar .
Edema da Papila Óptica .
Edema do Disco Óptico .
Papilite Óptica .
Inchaço do DISCO ÓPTICO, normalmente associado com pressão intracraniana elevada, caracterizado por hiperemia, embaçamento das margens do disco, micro-hemorragias, ampliação da mancha cega e engrossamento das veias retinianas. O papiledema crônico pode causar ATROFIA ÓPTICA e perda visual. (Tradução livre do original: Miller et al., Clinical Neuro-Ophthalmology, 4th ed, p175) .
0.59
703711