serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

C02 Viroses .
C02.782 Infecções por Vírus de RNA .
C02.782.815 Infecções por Retroviridae .
C02.782.815.200 Infecções por Deltaretrovirus .
C02.782.815.200.470 Infecções por HTLV-I .
C02.782.815.200.470.710 Paraparesia Espástica Tropical .
C10 Doenças do Sistema Nervoso .
C10.228 Doenças do Sistema Nervoso Central .
C10.228.140 Encefalopatias .
C10.228.140.140 Dano Encefálico Crônico .
C10.228.140.140.254 Paralisia Cerebral .
C10.228.228 Infecções do Sistema Nervoso Central .
C10.228.228.618 Mielite .
C10.228.228.618.500 Paraparesia Espástica Tropical .
C10.228.854 Doenças da Medula Espinal .
C10.228.854.525 Mielite .
C10.228.854.525.700 Paraparesia Espástica Tropical .
C10.500 Malformações do Sistema Nervoso .
C10.500.300 Neuropatia Hereditária Motora e Sensorial .
C10.500.300.820 Paraplegia Espástica Hereditária .
C10.574 Doenças Neurodegenerativas .
C10.574.500 Transtornos Heredodegenerativos do Sistema Nervoso .
C10.574.500.495 Neuropatia Hereditária Motora e Sensorial .
C10.574.500.495.820 Paraplegia Espástica Hereditária .
C10.597 Manifestações Neurológicas .
C10.597.622 Paralisia .
C10.597.622.669 Paraplegia .
C10.597.622.760 Quadriplegia .
C10.597.636 Paresia .
C10.597.636.500 Paraparesia .
C10.597.636.500.500 Paraparesia Espástica .
C10.668 Doenças Neuromusculares .
C10.668.829 Doenças do Sistema Nervoso Periférico .
C10.668.829.800 Polineuropatias .
C10.668.829.800.300 Neuropatia Hereditária Motora e Sensorial .
C10.668.829.800.300.820 Paraplegia Espástica Hereditária .
C16 Doenças e Anormalidades Congênitas, Hereditárias e Neonatais .
C16.131 Anormalidades Congênitas .
C16.131.666 Malformações do Sistema Nervoso .
C16.131.666.300 Neuropatia Hereditária Motora e Sensorial .
C16.131.666.300.820 Paraplegia Espástica Hereditária .
C16.320 Doenças Genéticas Inatas .
C16.320.400 Transtornos Heredodegenerativos do Sistema Nervoso .
C16.320.400.375 Neuropatia Hereditária Motora e Sensorial .
C16.320.400.375.820 Paraplegia Espástica Hereditária .
C23 Condições Patológicas, Sinais e Sintomas .
C23.888 Sinais e Sintomas .
C23.888.592 Manifestações Neurológicas .
C23.888.592.636 Paralisia .
C23.888.592.636.637 Paraplegia .
C23.888.592.636.786 Quadriplegia .
C23.888.592.643 Paresia .
C23.888.592.643.500 Paraparesia .
C23.888.592.643.500.500 Paraparesia Espástica .
D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.277 Hidrolases .
D08.811.277.040 Hidrolases Anidrido Ácido .
D08.811.277.040.013 Proteínas AAA .
D08.811.277.040.013.500 ATPases Associadas a Diversas Atividades Celulares .
D08.811.277.040.013.500.500 Espastina .
D08.811.277.040.025 Adenosina Trifosfatases .
D08.811.277.040.025.024 ATPases Associadas a Diversas Atividades Celulares .
D08.811.277.040.025.024.500 Espastina .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.157 Proteínas de Transporte .
D12.776.157.025 Proteínas AAA .
D12.776.157.025.750 ATPases Associadas a Diversas Atividades Celulares .
D12.776.157.025.750.500 Espastina .
D12.776.220 Proteínas do Citoesqueleto .
D12.776.220.600 Proteínas dos Microtúbulos .
D12.776.220.600.450 Proteínas Associadas aos Microtúbulos .
D12.776.220.600.450.465 Espastina .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.560 Proteínas Associadas aos Microtúbulos .
D12.776.631.560.480 Espastina .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Paraplegia .
Paraplegia Espástica .
Paralisia da Extremidades Inferiores .
Perda grave ou completa da função motora nas extremidades inferiores e porções inferiores do tronco. Esta afecção é mais frequentemente associada com DOENÇAS DA MEDULA ESPINHAL, embora DOENÇAS CEREBRAIS, DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO, DOENÇAS NEUROMUSCULARES e DOENÇAS MUSCULARES possam também causar fraqueza bilateral das pernas. .
0.79
21610542
 
Paraparesia Espástica Tropical .
Paraplegia Espástica Tropical .
Paraparesia Tropical Espástica .
Mielopatia Associada ao HTLV-I .
Mieloneuropatia paralítica e subaguda que ocorre de modo endêmico em áreas tropicais, como Caribe, Colômbia, Índia e África, bem como nas regiões sudoeste do Japão. Está associada com infecções por VÍRUS I DA LEUCEMIA DE CÉLULAS T HUMANAS. As manifestações clínicas incluem uma fraqueza espástica lentamente progressiva das pernas, aumento dos reflexos, sinais de Babinski, incontinência e perda das sensações vibratória e de posição. Lesões necróticas, de desmielinização e inflamatórias podem ser encontradas na medula espinhal ao exame patológico. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1239) .
0.66
2091568
 
Paraplegia Espástica Hereditária .
Paraplegia Espástica Hereditária Ligada ao X .
Paraplegia Espástica Hereditária Associada ao Cromossomo X .
Paraplegia Espástica Hereditária Associada ao Cromossoma X .
HMSN TIPO V .
Grupo de doenças hereditárias que compartilham fenótipos semelhantes, mas geneticamente variados. Foram identificados diferentes locais gênicos para as formas de paraplegia espástica hereditária autossômica recessiva, autossômica dominante e autossômica ligada ao X. Clinicamente, os pacientes apresentam fraqueza lentamente progressiva dos membros distais e espasticidade das extremidades inferiores. Os neurônios sensoriais periféricos podem ser afetados nos estágios mais avançados da doença. (Tradução livre do original: J Neurol Neurosurg Psychiatry 1998 Jan; 64(1):61-6; Curr Opin Neurol 1997 Aug;10(4):313-8) .
0.61
71057
 
Espastina .
Proteína 4 da Paraplegia Espástica .
ATPase AAA que se liga a MICROTÚBULOS e os rompe. Reconhece especificamente microtúbulos poliglutamilados com caudas curtas de poliglutamato, para promover a reorganização dos arranjos dos microtúbulos celulares e a liberação de microtúbulos do CENTROSSOMO após a nucleação. É crítica para a biogênese e manutenção dos arranjos complexos de microtúbulos nos AXÔNIOS, APARELHO DO FUSO CELULAR e CÍLIOS. As mutaçõe no gene da espastina (SPAST) tem sido associadas com o tipo 4 de PARAPLEGIA ESPÁSTICA HEREDITÁRIA. .
0.58
0275
 
Paraparesia Espástica .
Perda leve ou moderada da função motora acompanhada de espasticidade nas extremidades inferiores. Esta afecção é uma manifestação das DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL que causa lesão ao córtex motor ou vias motoras descendentes. .
0.54
19362
 
Paralisia Cerebral .
Doença de Little .
Diplegia Espástica .
Paralisia Cerebral Diplégica Infantil .
Paralisia Cerebral Monoplégica .
Paralisia Cerebral Quadriplégica Infantil .
Paralisia Cerebral Displégica Infantil .
Grupo heterogêneo de transtornos motores não progressivos causados por lesões cerebrais crônicas, que se originam no período pré-natal, período perinatal ou primeiros cinco anos de vida. Os quatro subtipos principais são espástico, atetoide, atáxico e paralisia cerebral mista, sendo a forma espástica a mais comum. O transtorno motor pode variar desde dificuldades no controle motor fino à espasticidade severa (v. ESPASTICIDADE MUSCULAR) em todos os membros. A diplegia espástica (doença de Little) é o subtipo mais comum, e é caracterizado por espasticidade mais proeminente nas pernas que nos braços. Esta afecção pode estar associada com LEUCOMALÁCIA PERIVENTRICULAR. (Tradução livre do original: Dev Med Child Neurol 1998 Aug;40(8):520-7) .
0.48
92016389
 
Quadriplegia .
Síndrome do Cativeiro .
Tetraplegia .
Quadriparesia .
Quadriplegia Espástica .
Perda grave ou completa da função motora em todos os quatro membros podendo resultar de DOENÇAS CEREBRAIS, DOENÇAS DA MEDULA ESPINHAL, DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO, DOENÇAS NEUROMUSCULARES ou, raramente, DOENÇAS MUSCULARES. A síndrome "trancada" é caracterizada por quadriplegia em combinação com paralisia do músculo craniano. A consciência é poupada e a única atividade motora voluntária que permanece está limitada ao movimento dos olhos. Esta afecção normalmente é causada por uma lesão no TRONCO ENCEFÁLICO superior que lesa os tratos córtico-espinhal e córtico-bulbar. .
0.44
1267457