serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

D01 Compostos Inorgânicos .
D01.268 Elementos .
D01.268.556 Metais Pesados .
D01.268.556.812 Prata .
D01.268.956 Elementos de Transição .
D01.268.956.843 Prata .
D01.552 Metais .
D01.552.544 Metais Pesados .
D01.552.544.812 Prata .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.124 Proteínas Sanguíneas .
D12.776.124.050 Proteínas da Fase Aguda .
D12.776.124.050.250 Fibrinogênio .
D12.776.124.125 Fatores de Coagulação Sanguínea .
D12.776.124.125.500 Fibrinogênio .
D12.776.811 Precursores de Proteínas .
D12.776.811.300 Fibrinogênio .
D23 Fatores Biológicos .
D23.119 Fatores de Coagulação Sanguínea .
D23.119.490 Fibrinogênio .
E05 Técnicas de Pesquisa .
E05.318 Métodos Epidemiológicos .
E05.318.760 Características de Estudos Epidemiológicos .
E05.318.760.250 Estudos Clínicos como Assunto .
E05.318.760.250.500 Ensaios Clínicos como Assunto .
E05.318.760.250.500.200 Ensaios Clínicos Fase I como Assunto .
G03 Metabolismo .
G03.171 Biotransformação .
G03.171.450 Inativação Metabólica .
G03.171.450.500 Desentoxicação Metabólica Fase I .
G03.787 Farmacocinética .
G03.787.225 Biotransformação .
G03.787.225.450 Inativação Metabólica .
G03.787.225.450.500 Desentoxicação Metabólica Fase I .
G04 Fenômenos Fisiológicos Celulares .
G04.144 Ciclo Celular .
G04.144.220 Divisão Celular .
G04.144.220.220 Divisão do Núcleo Celular .
G04.144.220.220.687 Meiose .
G04.144.220.220.687.444 Prófase Meiótica I .
G05 Fenômenos Genéticos .
G05.113 Divisão Celular .
G05.113.220 Divisão do Núcleo Celular .
G05.113.220.687 Meiose .
G05.113.220.687.500 Prófase Meiótica I .
G07 Fenômenos Fisiológicos .
G07.690 Fenômenos Farmacológicos e Toxicológicos .
G07.690.725 Farmacocinética .
G07.690.725.225 Biotransformação .
G07.690.725.225.450 Inativação Metabólica .
G07.690.725.225.450.500 Desentoxicação Metabólica Fase I .
G16 Fenômenos Biológicos .
G16.500 Fenômenos Ecológicos e Ambientais .
G16.500.275 Meio Ambiente .
G16.500.275.157 Ecossistema .
G16.500.275.157.531 Pradaria .
N05 Qualidade, Acesso e Avaliação da Assistência à Saúde .
N05.715 Qualidade da Assistência à Saúde .
N05.715.360 Mecanismos de Avaliação da Assistência à Saúde .
N05.715.360.775 Características de Estudos Epidemiológicos .
N05.715.360.775.088 Estudos Clínicos como Assunto .
N05.715.360.775.088.500 Ensaios Clínicos como Assunto .
N05.715.360.775.088.500.200 Ensaios Clínicos Fase I como Assunto .
N06 Meio Ambiente e Saúde Pública .
N06.230 Meio Ambiente .
N06.230.124 Ecossistema .
N06.230.124.390 Pradaria .
N06.850 Saúde Pública .
N06.850.520 Métodos Epidemiológicos .
N06.850.520.450 Características de Estudos Epidemiológicos .
N06.850.520.450.250 Estudos Clínicos como Assunto .
N06.850.520.450.250.250 Ensaios Clínicos como Assunto .
N06.850.520.450.250.250.200 Ensaios Clínicos Fase I como Assunto .
SP4 Saúde Ambiental .
SP4.011 Ciência .
SP4.011.097 Química .
SP4.011.097.063 Elementos .
SP4.011.097.063.954 Prata .
SP8 Desastres .
SP8.473 Risco .
SP8.473.654 Ameaças .
SP8.473.654.482 Geografia .
SP8.473.654.482.182 Pradaria .
V03 Características dos Estudos .
V03.175 Estudo Clínico .
V03.175.250 Ensaio Clínico .
V03.175.250.100 Ensaio Clínico Fase I .
VS2 Vigilância Sanitária de Produtos .
VS2.002 Controle de Medicamentos e Entorpecentes .
VS2.002.003 Avaliação de Medicamentos .
VS2.002.003.001 Aprovação de Drogas .
VS2.002.003.001.003 Ensaios Clínicos como Assunto .
VS2.002.003.001.003.001 Ensaios Clínicos Fase I como Assunto .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Ensaio Clínico Fase I .
Ensaio Clínico Fase I [Tipo de Publicação] .
Trabalho que relata um estudo clínico, pré-planejado, geralmente controlado, da segurança e eficácia de drogas de uso diagnóstico, terapêutico ou profilático e de dispositivos ou técnicas, baseado em um pequeno número de pessoas sadias e conduzido no período de aproximadamente um ano, nos Estados Unidos ou no exterior. .
0.53
00
 
Ensaios Clínicos Fase I como Assunto .
Ensaios Clínicos Fase I .
Avaliação de Drogas FDA Fase I .
Estudos de Avaliação FDA Fase I .
Trabalhos sobre estudos desenvolvidos para avaliar a segurança do diagnóstico, terapêutica ou medicamentos profiláticos, dispositivos ou técnicas em sujeitos saudáveis e determinar a variação da dose de segurança (se apropriado). Estes testes também são utilizados para determinar as propriedades farmacológicas e farmacocinéticas (toxicidade, metabolismo, absorção, eliminação e rota preferida de administração). Envolvem um pequeno número de pessoas e usualmente cerca de um ano. Este conceito inclui estudos de fase I conduzidos nos Estados Unidos e em outros países. .
0.52
 
Desentoxicação Metabólica Fase I .
Fase I da Desentoxicação Metabólica .
Funcionalização de substâncias exógenas para prepará-las para a conjugação da DESINTOXICAÇÃO FASE II. As enzimas da fase I incluem as enzimas do CITOCROMO P450 e algumas OXIDOREDUCTASES. A indução excessiva da fase I em detrimento da desintoxicação fase II leva a um aumento dos níveis de RADICAIS LIVRES que podem induzir o CÂNCER e outros danos celulares. A indução ou antagonismo da desintoxicação fase I é a base de várias INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS. .
0.49
0351
 
Prófase Meiótica I .
Diacinese .
Diplóteno .
Estágio Diacinese .
Estágio Diplóteno .
Estágio Leptóteno .
Estágio Zigóteno .
Leptóteno .
Zigóteno .
Prófase 1 .
Prófase I .
Prófase Meiótica 1 .
Estágio Zigóteno .
Estágio de Leptóteno .
Estágio de Zigoteno .
Prófase da primeira divisão da MEIOSE (na qual ocorre a SEGREGAÇÃO DE CROMOSSOMOS homólogos). É dividida em cinco estágios: leptóteno, zigóteno, paquíteno, diplóteno e diacinese. .
0.49
2332
 
Fibrinogênio .
Fator I de Coagulação .
Fator I .
Fator de Coagulação I .
Glicoproteína plasmática coagulada pela trombina, composta por um dímero de três pares de cadeias polipeptídicas não idênticas (alfa, beta e gama) mantidas juntas por pontes dissulfeto. A coagulação do fibrinogênio é uma mudança de sol para gel envolvendo arranjos moleculares complexos; enquanto o fibrinogênio é lisado pela trombina para formar polipeptídeos A e B, a ação proteolítica de outras enzimas libera diferentes produtos de degradação do fibrinogênio. .
0.47
22929107
 
Pradaria .
Campina .
Campo (Bioma) .
Cerrado .
Pampa .
Pampas .
Prado .
Prados .
Pradarias .
Savana .
Savanas .
Estepe .
Estepes .
1) Ecossistema dominado por gramíneas (POACEAE) com poucas árvores ou arbustos. 2) Savana: Região semi-árida (índice de seca 1 a 7). Formação vegetal própria das regiões tropicais com uma longa estação seca, caracterizada pelo predomínio das gramíneas e das plantas rizomatosas de grande porte entremeadas de árvores esparsas. Essa vegetação fica marrom e seca na maior parte do ano, exceto na curta estação de chuvas, e particularmente sujeita a extensos incêndios. (Tradução livre do original: Material V - Gunn, S.W.A. Multilingual Dictionary of Disaster Medicine and International Relief, 1990) .
0.46
2241107
 
Prata .
Elemento com o símbolo atômico Ag, número atômico 47 e peso atômico 107,87. É um metal macio utilizado na medicina em instrumentos cirúrgicos, próteses dentárias e ligas metálicas. Utilização dos sais de prata por um longo período pode levar a uma forma de envenenamento conhecida por ARGIRIA. .
0.44
13118838