serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.650 Plantas .
B01.650.940 Viridiplantae .
B01.650.940.800 Estreptófitas .
B01.650.940.800.575 Embriófitas .
B01.650.940.800.575.912 Traqueófitas .
B01.650.940.800.575.912.250 Magnoliopsida .
B01.650.940.800.575.912.250.456 Gentianales .
B01.650.940.800.575.912.250.456.937 Rubiaceae .
B01.650.940.800.575.912.250.456.937.250 Cinchona .
D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.277 Hidrolases .
D08.811.277.450 Glicosídeo Hidrolases .
D08.811.277.450.207 Quitinases .
D08.811.913 Transferases .
D08.811.913.696 Fosfotransferases .
D08.811.913.696.620 Fosfotransferases (Aceptor do Grupo Álcool) .
D08.811.913.696.620.682 Proteínas Quinases .
D08.811.913.696.620.682.700 Proteínas Serina-Treonina Quinases .
D08.811.913.696.620.682.700.559 MAP Quinase Quinase Quinases .
D08.811.913.696.620.682.700.565 Quinases de Proteína Quinase Ativadas por Mitógeno .
D08.811.913.696.620.682.700.931 Serina-Treonina Quinases TOR .
D08.811.913.696.620.682.725 Proteínas Tirosina Quinases .
D08.811.913.696.620.682.725.200 Quinases de Proteína Quinase Ativadas por Mitógeno .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.644 Peptídeos .
D12.644.360 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.644.360.400 MAP Quinase Quinase Quinases .
D12.644.360.440 Quinases de Proteína Quinase Ativadas por Mitógeno .
D12.776 Proteínas .
D12.776.476 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.776.476.400 MAP Quinase Quinase Quinases .
D12.776.476.440 Quinases de Proteína Quinase Ativadas por Mitógeno .
D12.776.476.925 Serina-Treonina Quinases TOR .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Fosfotransferases .
Transfosforilases .
ATP Fosfotransferases .
Quinases .
Cinases .
Grupo um tanto grande de enzimas, compreendendo não apenas aquelas que transferem fosfato, mas também difosfato, resíduos de nucleotídeos e outros. Também têm sido subdivididas de acordo com o grupo aceptor. EC 2.7. .
1.00
 
Cinchona .
Casca Tanífera do Peru .
Quina .
Quina-do-Amazonas .
Gênero de árvores rubiáceas da América do Sul que produzem os tóxicos ALCALOIDES DE CINCHONA (suas cascas), QUININA, QUINIDINA, cinchonina, cinchonidina e outros que são utilizados para tratar MALÁRIA e ARRITMIAS CARDÍACAS. .
0.83
 
MAP Quinase Quinase Quinases .
MAPK-ERK Quinase Quinases .
MAPKKKs .
MEK Quinases .
MEKKs .
Proteínas quinase quinase quinases ativadas por mitógeno (MAPKKKs) são proteínas serina/treonina quinases que iniciam as cascatas de sinal da proteína quinase. Fosforilam as PROTEÍNAS QUINASE QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENO (MAPKKs) que, por sua vez, fosforilam as PROTEÍNAS QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENOS (MAPKs). .
0.81
 
Quinases de Proteína Quinase Ativadas por Mitógeno .
MAP Quinase Quinases .
MAPK Quinases .
MAPK-erb Quinases .
MAPKKs .
MEKs 22258 .
QUINASES DE PROTEÍNA QUINASE ATIVADA POR MITÓGENO .
Família das proteínas serina-treonina quinases cujos membros são componentes das cascatas de proteína quinase ativadas por vários estímulos. Estas quinases MAPK fosforilam as PROTEÍNAS QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENO e são elas mesmas fosforiladas pelas MAP QUINASE QUINASE QUINASES. As JNK quinases (também conhecidas como SAPK quinases) são uma subfamília. .
0.79
 
Quitinases .
Poli-beta-Glucosaminidase .
Laminarase .
Quitinase .
Glicosídeo hidrolases que quebram as ligações glicosídicas na QUITINA. São importantes para a morfogênese de insetos e vermes e na defesa de plantas contra patógenos. As quitinases humanas podem desempenhar algum papel na etiologia de alergias e da asma. .
0.78
 
Proteínas Quinases .
Proteína Quinases .
Proteína-Quinases .
Proteínas-Quinases .
Proteíno-Quinases .
Proteinoquinases .
Quinases Proteicas .
CINASES PROTEICAS .
Família de enzimas que catalisam a conversão de ATP e uma proteína a ADP e uma fosfoproteína. .
0.76
 
Serina-Treonina Quinases TOR .
Serina-Treonina Quinases mTOR .
Quinases TOR .
Serina-treonina quinase que controla uma grande variedade de processos celulares envolvidos com o crescimento. A proteína é conhecida por ser alvo da rapamicina devido à descoberta de que o SIROLIMO (também conhecido como rapamicina) forma um complexo inibitório com a PROTEÍNA 1A DE LIGAÇÃO A TACROLIMO que bloqueia a ação de sua atividade enzimática. .
0.75