serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.050 Animais .
B01.050.150 Cordados .
B01.050.150.900 Vertebrados .
B01.050.150.900.649 Mamíferos .
B01.050.150.900.649.313 Eutérios .
B01.050.150.900.649.313.996 Escandêntias .
B01.050.500 Invertebrados .
B01.050.500.644 Moluscos .
B01.050.500.644.080 Bivalves .
B01.050.500.644.080.050 Arcidae .
B01.050.500.644.080.050.700 Scapharca .
B01.650 Plantas .
B01.650.940 Viridiplantae .
B01.650.940.800 Estreptófitas .
B01.650.940.800.575 Embriófitas .
B01.650.940.800.575.912 Traqueófitas .
B01.650.940.800.575.912.250 Magnoliopsida .
B01.650.940.800.575.912.250.100 Asteraceae .
B01.650.940.800.575.912.250.100.512 Mikania .
D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.037 Enzimas Desubiquitinantes .
D08.811.037.250 Ataxina-3 .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.776 Proteínas .
D12.776.157 Proteínas de Transporte .
D12.776.157.725 Proteínas de Ligação a RNA .
D12.776.157.725.452 Proteínas de Ligação a Poli(A) .
D12.776.157.725.452.125 Ataxina-2 .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.069 Ataxinas .
D12.776.631.069.500 Ataxina-1 .
D12.776.631.069.750 Ataxina-2 .
D12.776.631.069.875 Ataxina-3 .
D12.776.660 Proteínas Nucleares .
D12.776.660.075 Ataxinas .
D12.776.660.075.500 Ataxina-1 .
D12.776.660.075.750 Ataxina-2 .
D12.776.660.075.875 Ataxina-3 .
D12.776.664 Nucleoproteínas .
D12.776.664.962 Proteínas de Ligação a RNA .
D12.776.664.962.452 Proteínas de Ligação a Poli(A) .
D12.776.664.962.452.125 Ataxina-2 .
D13 Ácidos Nucleicos, Nucleotídeos e Nucleosídeos .
D13.150 Elementos Antissenso (Genética) .
D13.150.650 RNA Antissenso .
D13.150.650.700 RNA Interferente Pequeno .
D13.444 Ácidos Nucleicos .
D13.444.735 RNA 12333 .
D13.444.735.150 RNA Antissenso .
D13.444.735.150.700 RNA Interferente Pequeno .
D13.444.735.790 RNA não Traduzido .
D13.444.735.790.552 Pequeno RNA não Traduzido .
D13.444.735.790.552.875 RNA Interferente Pequeno .
E01 Diagnóstico .
E01.370 Técnicas e Procedimentos Diagnósticos .
E01.370.350 Diagnóstico por Imagem .
E01.370.350.350 Interpretação de Imagem Assistida por Computador .
E01.370.350.350.800 Tomografia Computadorizada de Emissão .
E01.370.350.350.800.700 Tomografia por Emissão de Pósitrons .
E01.370.350.600 Fotografia .
E01.370.350.600.350 Aumento da Imagem .
E01.370.350.600.350.800 Tomografia Computadorizada de Emissão .
E01.370.350.600.350.800.399 Tomografia por Emissão de Pósitrons .
E01.370.350.710 Cintilografia .
E01.370.350.710.800 Tomografia Computadorizada de Emissão .
E01.370.350.710.800.399 Tomografia por Emissão de Pósitrons .
E01.370.350.825 Tomografia .
E01.370.350.825.800 Tomografia Computadorizada de Emissão .
E01.370.350.825.800.399 Tomografia por Emissão de Pósitrons .
E01.370.384 Técnicas de Diagnóstico por Radioisótopos .
E01.370.384.730 Cintilografia .
E01.370.384.730.800 Tomografia Computadorizada de Emissão .
E01.370.384.730.800.399 Tomografia por Emissão de Pósitrons .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Escandêntias .
Scandentia .
Escandentia .
Ordem da classe MAMÍFEROS que compreende uma família, TUPAIIDAE (musaranhos arborícolas), 5 gêneros (um dos quais é TUPAIA) e 16 espécies. Sua distribuição recente é da Índia às Filipinas, sul da China a Java, Bornéu, Sumatra, Bali e outras ilhas nessas regiões. .
1.00
013
 
Tomografia por Emissão de Pósitrons .
PET Scan .
Tomografia de Emissão de Pósitrons .
PET 26438 .
Técnica de imagem que utiliza compostos marcados com radionuclídeos emissores de pósitrons de vida curta (como carbono-11, nitrogênio-13, oxigênio-15 e flúor-18) para medir o metabolismo celular. Tem sido útil em estudos de tecidos moles, como CÂNCER, SISTEMA CARDIOVASCULAR e encéfalo. A TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA DE EMISSÃO DE FÓTON ÚNICO é intimamente relacionada com a tomografia por emissão de pósitrons, mas utiliza isótopos de meias-vidas maiores e a resolução é mais baixa. .
0.57
28344452
 
RNA Interferente Pequeno .
RNA de Interferência Pequeno .
Pequeno RNA Interferente .
Pequeno RNA de Interferência .
RNA de Interação com Piwi .
siRNA com Repetições Associadas .
RNA de Varredura .
siRNA .
siRNA de Atuação Trans .
RNA Pequeno Interferente .
RNA de Varredura Pequena .
siRNA Transatuante .
siRNA Trans-Atuante .
Scan de RNA .
siRNA Associado com Repetição .
siRNA Atuando como Trans .
Scan de RNA Pequeno .
RNAs pequenos, de cadeia dupla, de codificação não proteica (21-31 nucleotídeos) envolvidos nas funções de INATIVAÇÃO GÊNICA, especialmente o RNA DE INTERFERÊNCIA (RNAi). Os siRNAs são endogenamente gerados a partir de dsRNAs (RNA DE CADEIA DUPLA) pela mesma ribonuclease, Dicer, que gera miRNAs (MICRORNAS). O pareamento perfeito das cadeias de siRNAs' antissenso com seus RNAs alvos medeia a clivagem do RNAi guiado por siRNA. Os siRNAs caem em diferentes classes, inclusive siRNA de atuação trans (tasiRNA), RNA com repetições associadas (rasiRNA), RNA de varredura pequena (scnRNA), e RNA de interação com a proteína Piwi (piRNA) e têm funções diferentes de inativação gênica específica. .
0.56
4754562
 
Mikania .
Cipó-Catinga .
Erva-das-serpentes .
Guaco .
Guaco-do-Jardim .
Guaco-do-Quintal .
Guaco-Verdadeiro .
Guacos .
Mikania amara .
Mikania cordifolia .
Mikania guaco .
Mikania glomerata .
Mikania scandens .
Mikania officinalis .
Mikanias .
Gênero de plantas (família ASTERACEAE) cujos membros contêm escandenolida (lactona sesquiterpena) e germacranolida. .
0.55
3787
 
Scapharca .
Gênero de moluscos (família ARCIDAE, classe BIVALVIA) utilizados no estudo de HEMOGLOBINAS. .
0.49
049
 
Ataxina-2 .
Proteína Ataxia Espinocerebelar Tipo 2 .
Proteína SCA2 .
Proteína ligante de poli(A) RNA que regula negativamente a ENDOCITOSE de EGFR (RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO). É observado um risco aumentado em desenvolver ESCLEROSE AMIOTRÓFICA LATERAL 13 em pacientes que tiverem mais de 23 repetições CAG na sequência codificadora do gene ATXN2. Expansões maiores de CAG no gene ATXN2 ocorrem em pacientes com ataxia espinocerebelar tipo 2 (ver ATAXIAS CEREBELARES). .
0.49
246
 
Ataxina-1 .
Proteína Ataxia Espinocerebelar Tipo 1 .
Proteína SCA1 .
Fator de ligação à cromatina que reprime a sinalização por Notch e se associa com o RNA. A expansão do trato da poliglutamina por repetições CAG na região que codifica o gene ATXN1 está associada com a ATAXIA ESPINOCEREBELAR TIPO 1. .
0.49
0449
 
Ataxina-3 .
Proteína Ataxia Espinocerebelar Tipo 3 .
Proteína SCA3 .
Desubiquitinase da família de ATAXINAS. Atua na homeostase proteica, na TRANSCRIÇÃO GENÉTICA, na regulação do CITOESQUELETO e na MIOGÊNESE. A EXPANSÃO DAS REPETIÇÕES DE TRINUCLEOTÍDEOS CAG na região codificadora do gene da ataxina-3 está associada com ataxia espinocerebelar tipo 3 (ver DOENÇA DE MACHADO-JOSEPH). .
0.48
1509