serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

D05 Substâncias Macromoleculares .
D05.750 Polímeros .
D05.750.078 Biopolímeros .
D05.750.078.730 Proteínas dos Microfilamentos .
D05.750.078.730.475 Miosinas .
D05.750.078.730.475.470 Miosina Tipo I .
D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.277 Hidrolases .
D08.811.277.040 Hidrolases Anidrido Ácido .
D08.811.277.040.025 Adenosina Trifosfatases .
D08.811.277.040.025.193 Proteínas Motores Moleculares .
D08.811.277.040.025.193.750 Miosinas .
D08.811.277.040.025.193.750.500 Miosina Tipo I .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.644 Peptídeos .
D12.644.360 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.644.360.420 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776 Proteínas .
D12.776.097 Proteínas de Bactérias .
D12.776.097.533 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776.210 Proteínas Contráteis .
D12.776.210.500 Proteínas Musculares .
D12.776.210.500.600 Miosinas .
D12.776.210.500.600.465 Miosina Tipo I .
D12.776.220 Proteínas do Citoesqueleto .
D12.776.220.525 Proteínas dos Microfilamentos .
D12.776.220.525.475 Miosinas .
D12.776.220.525.475.470 Miosina Tipo I .
D12.776.476 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.776.476.420 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776.543 Proteínas de Membrana .
D12.776.543.750 Receptores de Superfície Celular .
D12.776.543.750.054 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.750 Sinapsinas .
D12.776.744 Fosfoproteínas .
D12.776.744.840 Sinapsinas .
G01 Fenômenos Físicos .
G01.358 Fenômenos Magnéticos .
G01.358.750 Campos Magnéticos .
G04 Fenômenos Fisiológicos Celulares .
G04.144 Ciclo Celular .
G04.144.220 Divisão Celular .
G04.144.220.220 Divisão do Núcleo Celular .
G04.144.220.220.687 Meiose .
G04.144.220.220.687.444 Prófase Meiótica I .
G05 Fenômenos Genéticos .
G05.113 Divisão Celular .
G05.113.220 Divisão do Núcleo Celular .
G05.113.220.687 Meiose .
G05.113.220.687.500 Prófase Meiótica I .
H01 Disciplinas das Ciências Naturais .
H01.671 Física .
H01.671.493 Magnetismo .
HP4 Materia Medica .
HP4.018 Medicamento Homeopático .
HP4.018.499 Medicamento Homeopático M .
HP4.018.499.057 Magnesia Iodata .
N04 Administração de Serviços de Saúde .
N04.452 Organização e Administração .
N04.452.150 Constituição e Estatutos .
SP4 Saúde Ambiental .
SP4.011 Ciência .
SP4.011.112 Física .
SP4.011.112.303 Magnetismo .
SP8 Desastres .
SP8.473 Risco .
SP8.473.654 Ameaças .
SP8.473.654.692 Técnicas, Medidas, Equipamentos de Medição .
SP8.473.654.692.792 Técnicas .
SP8.473.654.692.792.692 Pesos e Medidas .
SP8.473.654.692.792.692.829 Escala de Richter .
SP9 Direito Sanitário .
SP9.080 Documentos .
SP9.080.060 Constituição e Estatutos .
SP9.090 Normas Jurídicas .
SP9.090.030 Constituição e Estatutos .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Fenômenos Magnéticos .
Atração Magnética .
Características, propriedades e efeitos de substâncias magnéticas e campos magnéticos. .
0.59
01583
 
Campos Magnéticos .
Áreas de força de atração ou repulsão que circundam os ÍMÃS. .
0.36
113053
 
Magnesia Iodata .
Magnesium Iodatum .
Medicamento homeopático. Magnesium iodatum. Abrev.: "mag-i.". Origem química. Substância utilizada: iodeto de magnésio octaidratado. .
0.33
00
 
Sinapsinas .
Sinapsina I .
Sinapsina II .
Sinapsina III .
Proteína I .
Proteína III .
Família de proteínas associadas às vesículas sinápticas envolvidas na regulação de curto prazo da liberação de NEUROTRANSMISSORES. A sinapsina I, o membro predominante desta família, liga as VESÍCULAS SINÁPTICAS a FILAMENTOS DE ACTINA no terminal nervoso pré-sináptico. Essas interações são moduladas pela FOSFORILAÇÃO reversível da sinapsina I através de várias vias de transdução de sinal. A proteína também é um substrato para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE C-AMP e para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE CÁLCIO-CALMODULINA. Acredita-se que essas propriedades funcionais também sejam compartilhadas pela sinapsina II. .
0.33
01470
 
Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
MACP-I .
MACP-II .
Proteína Quimiotática 1 Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática 2 Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática 3 Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática I Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática II Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática III Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática 1 Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática 2 Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática 3 Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática I Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática II Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática III Aceitadora de Metil .
Proteínas Quimiotáticas Aceitadoras de Metil .
Proteínas Quimiotáticas de Aceitação de Metil .
Proteínas transmembrana sensitivas receptoras que são componentes centrais de sistemas quimiotáticos de várias espécies de bactérias móveis que incluem ESCHERICHIA COLI e SALMONELLA TYPHIMURIUM. Proteínas quimiotáticas aceptoras de metil devem o seu nome ao processo de adaptação sensorial que envolve a metilação em vários resíduos de glutamil no seu domínio citoplasmático. As proteínas quimiotáticas aceptoras de metil desencadeiam respostas quimiotáticas através de gradientes químicos espaciais, fazendo com que os organismos se movam ao encontro de estímulos favoráveis ou contra estímulos tóxicos. .
0.33
0882
 
Miosina Tipo I .
Miosina I .
Miosina Ia .
Miosina Ib .
Miosina Tipe I .
Subclasse de miosinas, geralmente encontrada associada com estruturas membranosas ricas em actina, como os filopódios. Os membros da família de miosina tipo I são ubiquamente expressos em eucariontes. As cadeias pesadas de miosina tipo I perderam a estrutura espiral formando as sequências em suas caudas, portanto não dimerizam. .
0.33
1348
 
Magnetismo .
MAGNÉTICA .
Estudo dos FENÔMENOS MAGNÉTICOS. .
0.32
4623117
 
Escala de Richter .
Magnitude .
Magnitude do Terremoto .
Quantifica o grau de energia liberada durante um terremoto, considerando a amplitude das ondas sísmicas, a distância epicentral e a sensibilidade dos instrumentos de registro. É uma escala logarítmica, que teoricamente não apresenta limites. Pode conter grau negativo, para representar o evento muito pequeno, até valores próximos de 9, devido aos superterremotos. Cada grau de escala corresponde à liberação de cerca de 30 vezes mais energia que o anterior, como, por exemplo, um tremor de magnitude 5.0, que libera cerca de 900 vezes mais energia que um de grau 3.0 (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992) .
0.32
20
 
Constituição e Estatutos .
Estatuto .
Estatutos .
Carta Magna .
Constituição .
Constituições .
Contrato Social .
Lei Magna .
1) Princípios fundamentais e leis adotadas por uma organização para a regulação e administração de seus negócios. 2) Constituição: Lei fundamental de um ESTADO, em que estão estabelecidos os princípios embasadores de sua organização política, bem como os direitos e deveres de governantes e governados. 3) Estatuto: Conjunto de princípios institucionais ou orgânicos de uma coletividade ou corporação, pública ou privada. Também utilizado para designar NORMAS JURÍDICAS que ordenam algum tema específico. .
0.32
633917
 
Prófase Meiótica I .
Diacinese .
Diplóteno .
Estágio Diacinese .
Estágio Diplóteno .
Estágio Leptóteno .
Estágio Zigóteno .
Leptóteno .
Zigóteno .
Prófase 1 .
Prófase I .
Prófase Meiótica 1 .
Estágio Zigóteno .
Estágio de Leptóteno .
Estágio de Zigoteno .
Prófase da primeira divisão da MEIOSE (na qual ocorre a SEGREGAÇÃO DE CROMOSSOMOS homólogos). É dividida em cinco estágios: leptóteno, zigóteno, paquíteno, diplóteno e diacinese. .
0.32
4332