serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

B01 Eucariotos .
B01.650 Plantas .
B01.650.940 Viridiplantae .
B01.650.940.800 Estreptófitas .
B01.650.940.800.575 Embriófitas .
B01.650.940.800.575.156 Cycadopsida .
B01.650.940.800.575.156.100 Coniferophyta .
B01.650.940.800.575.156.100.666 Pinaceae .
B01.650.940.800.575.156.100.666.755 Picea .
B01.650.940.800.575.912 Traqueófitas .
B01.650.940.800.575.912.250 Magnoliopsida .
B01.650.940.800.575.912.250.075 Apiaceae .
B01.650.940.800.575.912.250.075.333 Foeniculum .
B01.650.940.800.575.912.250.100 Asteraceae .
B01.650.940.800.575.912.250.401 Fabaceae .
B01.650.940.800.575.912.250.401.250 Galega .
C10 Doenças do Sistema Nervoso .
C10.886 Transtornos do Sono-Vigília .
C10.886.659 Parassonias .
C10.886.659.700 Transtornos da Transição Sono-Vigília .
D03 Compostos Heterocíclicos .
D03.132 Alcaloides .
D03.132.760 Alcaloides de Solanáceas .
D03.132.760.570 Nicotina .
D03.383 Compostos Heterocíclicos com 1 Anel .
D03.383.725 Piridinas .
D03.383.725.518 Nicotina .
D27 Ações Químicas e Utilizações .
D27.505 Ações Farmacológicas .
D27.505.519 Mecanismos Moleculares de Ação Farmacológica .
D27.505.519.625 Neurotransmissores .
D27.505.519.625.120 Colinérgicos .
D27.505.696 Efeitos Fisiológicos de Drogas .
D27.505.696.577 Neurotransmissores .
D27.505.696.577.120 Colinérgicos .
E01 Diagnóstico .
E01.354 Erros de Diagnóstico .
E01.354.340 Reações Falso-Negativas .
E01.354.506 Reações Falso-Positivas .
F03 Transtornos Mentais .
F03.870 Transtornos do Sono-Vigília .
F03.870.664 Parassonias .
F03.870.664.700 Transtornos da Transição Sono-Vigília .
SP4 Saúde Ambiental .
SP4.011 Ciência .
SP4.011.092 Toxicologia .
SP4.011.092.763 Nicotina .
SP4.041 Ar 306 .
SP4.041.432 Poluentes Atmosféricos .
SP4.041.432.533 Poluentes Químicos .
SP4.041.432.533.030 Nicotina .
SP4.041.432.568 Material Particulado .
SP4.041.432.568.090 Fumaça .
SP4.041.432.568.090.010 Nicotina .
SP8 Desastres .
SP8.473 Risco .
SP8.473.654 Ameaças .
SP8.473.654.517 Geologia .
SP8.473.654.517.262 Falha Geológica .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Asteraceae .
Algodão-de-Preá .
Brocha .
Falsa-Serralha .
Pincel .
Pincel-de-Estudante .
Serralha-Brava .
Serralha-Mirim .
Serralhinha .
Asteráceas .
Dorônico .
Aspilia .
Carpesium .
Clibadium .
Bela-Emília .
Heterotheca .
Iostephane .
Dorônico Falso .
Lychnophora .
Phagnalon .
Sphaeranthus .
Trixis .
Viguiera .
Compositae .
Compostas .
Compósitas .
Doronicum .
Enhydra fluctuans .
Ixeris .
Ligularia .
Pseudognaphalium .
Silphium .
Tithonia .
EMÍLIA (PLANTA) .
ASTERALES .
Grande família de plantas (ordem Asterales, subclasse Asteridae, classe Magnoliopsida), também conhecidas como Compositae. As pétalas da flor são unidas próximo à base e os estames se alternam com os lóbulos da corola. O nome vulgar 'margarida' refere-se a vários gêneros desta família, inclusive Aster, CHRYSANTHEMUM, RUDBECKIA e TANACETUM. .
0.62
2193882
 
Transtornos da Transição Sono-Vigília .
Transtornos da Transição Vigília-Sono .
Cãibras Noturnas das Pernas .
Câimbras Noturnas das Pernas .
Sobressaltos do Sono .
Fala Durante o Sono .
Falar Dormindo .
Soníloquo .
Sobressaltos da Sonolência .
Hipnofonia .
Soniloquia .
Soniloquência .
Soniloquismo .
Cãibras Noturnas da Perna .
Parassonias caracterizadas por anormalidades comportamentais que ocorrem durante a transição entre a vigília e o sono (ou entre o sono e a vigília). .
0.44
10148
 
Foeniculum .
Anis-Doce .
Falso-Anis .
Finóquio .
Fiolho .
Fiolho-Doce .
Fiuncho .
Funcho-de-Cabeça .
Funcho-Amargo .
Funcho .
Funcho-da-Itália .
Funcho-de-Bolonha .
Funcho-de-Florença .
Foeniculum vulgare .
Funcho-Doce .
Funcho-Hortense .
Funcho-Romano .
Maratro .
Gênero de planta da família APIACEAE utilizada em ESPECIARIAS. .
0.42
5203
 
Galega .
Arruda-de-Bode .
Falso-Anil .
Gênero de plantas (família FABACEAE) contendo galegina (GUANIDINAS). A maioria das outras espécies tem sido reclassificada para TEPHROSIA, um pequeno número para Planta do Astrágalo e INDIGOFERA. .
0.42
029
 
Picea .
Picea abies .
Abeto-Falso .
Árvore-de-Natal .
Pinheiro-da-Noruega .
Picea glauca .
Pinheiro-do-Canadá .
Espruce .
Gênero de plantas da família PINACEAE, ordem Pinales, classe Pinopsida, divisão Coniferophyta. São árvores piramidais perenes, com galhos em espiral e casca delgada e escamosa. Cada uma das folhas lineares dispostas em espiral se articula próximo ao caule em uma base lenhosa separada. .
0.39
 
Reações Falso-Positivas .
Falso Positivo .
Resultados Falso-Positivos .
Resultados positivos em pacientes que não têm as características para as quais o teste é feito. Classificação de pessoas saudáveis como doentes quando examinadas para a detecção de doenças. .
0.38
21126135
 
Reações Falso-Negativas .
Falso Negativo .
Resultados Falso-Negativos .
Resultados negativos em pacientes que têm as características para as quais o teste é feito. A classificação de pessoas doentes como saudáveis quando examinadas para a detecção de doenças. .
0.38
20616950
 
Nicotina .
Nicotina é um alcaloide altamente tóxico. É o agonista prototípico dos receptores colinérgicos nicotínicos onde estimula dramaticamente os neurônios e por último bloqueia a transmissão sináptica. A nicotina também é importante medicinalmente devido sua presença no fumo do tabaco. .
0.37
29122434
 
Colinérgicos .
Agentes Colinérgicos .
Agentes Nicotínicos .
Agentes de Acetilcolina .
Agentes Muscarínicos .
Acetilcolínicos .
Colinomiméticos .
Muscarínicos .
Nicotínicos .
Efeito Colinérgico .
Colimiméticos .
Qualquer fármaco usado por suas ações em sistemas colinérgicos. Encontram-se neste grupo agonistas e antagonistas, fármacos que afetam o ciclo da ACETILCOLINA, e aqueles que afetam a sobrevivência dos neurônios colinérgicos. O termo "fármacos colinérgicos" às vezes é usado no sentido mais restrito de AGONISTAS MUSCARÍNICOS, mas os textos modernos desencorajam este uso. .
0.36
301867
 
Falha Geológica .
Falha .
1. Plano de separação que se forma entre blocos de uma camada rochosa, em consequência do seu deslocamento e de movimentos tectônicos (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992). Fratura plana ou ligeiramente curva nas camadas superiores da crosta terrestre, sobre as quais ocorre o deslocamento; Fratura nas rochas da crosta terrestre, ao longo das quais os blocos contíguos se movimentaram. A amplitude desse movimento pode variar de milímetros até centenas de metros. Terremotos catastróficos têm ocorrido nas zonas de domínio de grandes falhas geológicas ativas, como, por exemplo, na região da Califórnia (USA), associados à falha de San Andreas (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992) .
0.36
40