serw-MX  [xml]  
 


    
 Categorias DeCS

D08 Enzimas e Coenzimas .
D08.811 Enzimas .
D08.811.913 Transferases .
D08.811.913.696 Fosfotransferases .
D08.811.913.696.445 Nucleotidiltransferases .
D08.811.913.696.445.308 DNA Nucleotidiltransferases .
D08.811.913.696.445.308.300 DNA Polimerase Dirigida por DNA .
D08.811.913.696.445.308.300.225 DNA Polimerase I .
D08.811.913.696.445.735 RNA Nucleotidiltransferases .
D08.811.913.696.445.735.270 RNA Polimerases Dirigidas por DNA .
D08.811.913.696.445.735.270.750 RNA Polimerase I .
D12 Aminoácidos, Peptídeos e Proteínas .
D12.644 Peptídeos .
D12.644.360 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.644.360.420 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776 Proteínas .
D12.776.097 Proteínas de Bactérias .
D12.776.097.533 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776.157 Proteínas de Transporte .
D12.776.157.125 Proteínas de Ligação ao Cálcio .
D12.776.157.125.050 Anexinas .
D12.776.157.125.050.100 Anexina A5 .
D12.776.476 Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intracelular .
D12.776.476.420 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776.543 Proteínas de Membrana .
D12.776.543.750 Receptores de Superfície Celular .
D12.776.543.750.054 Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
D12.776.631 Proteínas do Tecido Nervoso .
D12.776.631.750 Sinapsinas .
D12.776.744 Fosfoproteínas .
D12.776.744.840 Sinapsinas .
D13 Ácidos Nucleicos, Nucleotídeos e Nucleosídeos .
D13.695 Nucleotídeos .
D13.695.578 Polinucleotídeos .
D13.695.578.550 Polirribonucleotídeos .
D13.695.578.550.560 Poli C .
D13.695.578.550.560.600 Poli I-C .
D13.695.578.550.650 Poli I .
D13.695.578.550.650.600 Poli I-C .
G02 Fenômenos Químicos .
G02.111 Fenômenos Bioquímicos .
G02.111.570 Estrutura Molecular .
G02.111.570.820 Conformação Molecular .
G02.111.570.820.709 Conformação Proteica .
G02.111.570.820.709.550 Estrutura Quaternária de Proteína .
G04 Fenômenos Fisiológicos Celulares .
G04.144 Ciclo Celular .
G04.144.220 Divisão Celular .
G04.144.220.220 Divisão do Núcleo Celular .
G04.144.220.220.687 Meiose .
G04.144.220.220.687.444 Prófase Meiótica I .
G05 Fenômenos Genéticos .
G05.113 Divisão Celular .
G05.113.220 Divisão do Núcleo Celular .
G05.113.220.687 Meiose .
G05.113.220.687.500 Prófase Meiótica I .
 
 Termos
 Sinônimos e Históricos
Documentos
LILACS e MDL
 
Estrutura Quaternária de Proteína .
Forma e arranjo tridimensional característicos de proteínas multiméricas (agregados com mais de uma cadeia polipeptídica). .
0.66
 
DNA Polimerase I .
DNA Polimerase I Dependente de DNA .
Pol I .
Fragmento Klenow .
DNA Polimerase alfa .
DNA polimerase dependente de DNA, caracterizada em procariotos, e que pode estar presente em organismos superiores. Tem tanto atividade de exonuclease 3'-5'quanto 5'-3', mas não pode usar o DNA de fita dupla nativo como molde-iniciador. Não é inibida por reagentes sulfidrílicos e é ativa tanto na síntese quanto no reparo do DNA. Ec 2.7.7.7. .
0.49
72958
 
Poli I .
Inosina Polinucleotídeos .
Ácidos Poli-Inosínicos .
INOSINA POLINUCLEOTÍDIOS .
Grupo de ribonucleotídeos inosina nos quais os resíduos fosfato de cada ribonucleotídeo inosina atuam como pontes formando ligações diéster entre as moléculas de ribose. .
0.47
0266
 
Sinapsinas .
Sinapsina I .
Sinapsina II .
Sinapsina III .
Proteína I .
Proteína III .
Família de proteínas associadas às vesículas sinápticas envolvidas na regulação de curto prazo da liberação de NEUROTRANSMISSORES. A sinapsina I, o membro predominante desta família, liga as VESÍCULAS SINÁPTICAS a FILAMENTOS DE ACTINA no terminal nervoso pré-sináptico. Essas interações são moduladas pela FOSFORILAÇÃO reversível da sinapsina I através de várias vias de transdução de sinal. A proteína também é um substrato para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE C-AMP e para PROTEÍNAS QUINASES DEPENDENTES DE CÁLCIO-CALMODULINA. Acredita-se que essas propriedades funcionais também sejam compartilhadas pela sinapsina II. .
0.39
01470
 
Poli I-C .
Indutor de interferon constituído de dupla fita desemparelhada de RNA sintético. O polímero é formado de uma fita de ácido poli-inosínico e a outra de ácido policitidílico. .
0.38
04705
 
Prófase Meiótica I .
Diacinese .
Diplóteno .
Estágio Diacinese .
Estágio Diplóteno .
Estágio Leptóteno .
Estágio Zigóteno .
Leptóteno .
Zigóteno .
Prófase 1 .
Prófase I .
Prófase Meiótica 1 .
Estágio Zigóteno .
Estágio de Leptóteno .
Estágio de Zigoteno .
Prófase da primeira divisão da MEIOSE (na qual ocorre a SEGREGAÇÃO DE CROMOSSOMOS homólogos). É dividida em cinco estágios: leptóteno, zigóteno, paquíteno, diplóteno e diacinese. .
0.37
4332
 
Anexina A5 .
Anexina V .
Proteína Anticoagulante I de Placenta .
Ancorina CII .
Calfobindina I .
Endonexina II .
Lipocortina V .
PAP-I .
Proteína da família anexina isolada da PLACENTA humana e outros tecidos. Inibe a FOSFOLIPASE A2 citosólica e demonstra atividade anticoagulante. .
0.37
54472
 
RNA Polimerase I .
RNA Polimerase I Dependente de DNA .
RNA Polimerase I DNA-Dependente .
RNA polimerase dependente de DNA presente em células bacterianas, vegetais e animais. A enzima funciona na estrutura nucleolar e transcreve DNA em RNA. Tem requerimentos diferentes para cátions e sais em relação às RNA polimerases II e III, e não é inibida por alfa-amanitina. .
0.33
61720
 
Proteínas Quimiotáticas Aceptoras de Metil .
MACP-I .
MACP-II .
Proteína Quimiotática 1 Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática 2 Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática 3 Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática I Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática II Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática III Aceptora de Metil .
Proteína Quimiotática 1 Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática 2 Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática 3 Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática I Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática II Aceitadora de Metil .
Proteína Quimiotática III Aceitadora de Metil .
Proteínas Quimiotáticas Aceitadoras de Metil .
Proteínas Quimiotáticas de Aceitação de Metil .
Proteínas transmembrana sensitivas receptoras que são componentes centrais de sistemas quimiotáticos de várias espécies de bactérias móveis que incluem ESCHERICHIA COLI e SALMONELLA TYPHIMURIUM. Proteínas quimiotáticas aceptoras de metil devem o seu nome ao processo de adaptação sensorial que envolve a metilação em vários resíduos de glutamil no seu domínio citoplasmático. As proteínas quimiotáticas aceptoras de metil desencadeiam respostas quimiotáticas através de gradientes químicos espaciais, fazendo com que os organismos se movam ao encontro de estímulos favoráveis ou contra estímulos tóxicos. .
0.32
0882